Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 04 / Senadora irá à Corregedoria Nacional de Justiça denunciar proibição de visitas a Lula

curitiba

Senadora irá à Corregedoria Nacional de Justiça denunciar proibição de visitas a Lula

Vanessa Grazziotin diz estar preocupada com isolamento do ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal no Paraná
por Redação RBA publicado 20/04/2018 14h43
Vanessa Grazziotin diz estar preocupada com isolamento do ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal no Paraná
Moreira Mariz/Agência Senado
Vanessa Grazziotin

'A postura ilegal da juíza ser chancelada pela corregedoria vai demostrar o tamanho do problema que vivemos', diz Vanessa

São Paulo – A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) irá à Corregedoria Nacional de Justiça para pedir uma resposta sobre a proibição de visitas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, determinada pela juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba. A parlamentar afirma que a ação é arbitrária. "A postura ilegal da juíza ser chancelada pela Corregedoria vai demonstrar o tamanho do problema que vivemos", afirmou, em entrevista aos jornalistas Marilu Cabañas e Glauco Faria na Rádio Brasil Atual, nesta sexta-feira (20).

Vanessa e outros dez senadores da Comissão de Direitos Humanos do Senado foram os únicos a visitarem o ex-presidente Lula na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde sua detenção, além de seus familiares e advogados. Na tarde de ontem (19), o ativista argentino e Nobel da Paz em 1980,  Adolfo Pérez Esquivel foi impedido de ver o ex-presidente.

"Nós saímos preocupados com a situação de isolamento de Lula, então precisamos agir para denunciar o que está sendo feito contra ele. Não adianta só lamentar, o ex-presidente tem esperança em nós do lado de fora", pontua.

"Eles tentam justificar a prisão de Lula como se a justiça fosse para todos, mas sua situação mostra que não é assim, pois há pessoas que possuem provas robustas contra elas e estão soltas", acrescenta a senadora.

Transgênicos

A parlamentar também comentou a manobra do Senado para votar o direito à informação sobre produtos transgênicos. Na última terça-feira (17), a Comissão de Meio Ambiente (CMA) do Senado aprovou o Projeto de Lei 34/2015 ,que determina a retirada do triângulo amarelo com a letra "T" das embalagens.

Para ela, o texto de de autoria do deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS) é uma ação de "má fé" e a manobra é "criminosa". "O projeto é ruim e, além de tirar a informação ao consumidor, penaliza o pequeno produtor", disse.

Na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), o parecer pela rejeição foi de Vanessa Grazziotin, relatora do tema no colegiado. Na sessão, ela argumentou que a expansão das plantações de transgênicos leva ao aumento no uso de agrotóxicos, pois grande parte das sementes geneticamente modificadas (OGMs) tem como principal característica a resistência aos venenos. "Com o aumento do emprego de agrotóxicos, crescem os riscos aos consumidores, pois os efeitos nocivos à saúde humana e ao meio ambiente já são mais do que conhecidos", disse ela.

Ouça a entrevista