Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 04 / Esquivel se solidariza com Lula por perseguição: 'Te acompañamos, hermano'

Construção democrática

Esquivel se solidariza com Lula por perseguição: 'Te acompañamos, hermano'

Nobel de 1980 divulgou carta que será entregue ao comitê responsável pelo prêmio, afirmando que governo do ex-presidente "desenvolveu políticas para superar a fome e a pobreza em seu país"
por Redação RBA publicado 05/04/2018 15h08
Nobel de 1980 divulgou carta que será entregue ao comitê responsável pelo prêmio, afirmando que governo do ex-presidente "desenvolveu políticas para superar a fome e a pobreza em seu país"
Ricardo Stuckert
esquivel

Esquivel e Lula se reuniram em março (com o ex-chanceler Celso Amorim, Paulo Okamotto e a professora Carol Proner)

São Paulo – O argentino Adolfo Pérez Esquivel, Nobel da Paz em 1980, escreveu em rede social que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva "está sendo perseguido pelo que fez de certo para o Brasil, está se criminalizando o PT e suas políticas de Estado". "Os povos latino-americanos estão com você, irmão", afirmou Esquivel, que recentemente se encontrou com Lula. Em março, ele gravou para o programa Entre Vistas, da TVT.

Ele publicou a carta que será entregue em setembro ao Comitê do Prêmio Nobel, na Noruega, em que indica Lula para receber a homenagem, afirmando que o ex-presidente, "por meio de seu compromisso social, sindical e político, desenvolveu políticas públicas para superar a fome e a pobreza em seu país, um dos de maior desigualdade estrutural no mundo". 

"Como vocês bem sabem, a paz não é apenas a ausência da guerra, nem evitar a morte de uma ou muitas pessoas, é também dar esperança de futuro aos povos, em especial aos setores mais vulneráveis vítimas da 'cultura do descarte' de que nos fala o Papa Francisco", afirma Esquivel na correspondência, endereçada à presidenta do Comitê, Berit Reiss-Andersen, e ao vice, Henrik Syse, iniciando com a saudação dos franciscanos: "Paz e Bem".

"A paz é incluir e proteger a quem esse sistema econômico condena à morte e a múltiplas violências", acrescenta Esquivel. "'Lula' da Silva teve como um de seus eixos fundamentais de governo comprometer-se com os pobres a implementar políticas públicas para superar a fome e a pobreza. (...) O governo de Lula foi uma construção democrática e participativa com meios não violentos que elevou o nível de vida da população e deu esperanças aos setores mais necessitados. A contribuição de Lula à paz está nos feitos concretos da vida do povo brasileiro, e reforçada por estudos de diversos organismos internacionais."

Ele criou ainda um abaixo-assinado para quem quiser apoiar a campanha.