Você está aqui: Página Inicial / Política / 2018 / 01 / Juiz Bretas abandona o Twitter após questionamentos sobre auxílio-moradia

sem contraditório

Juiz Bretas abandona o Twitter após questionamentos sobre auxílio-moradia

Alegando motivos profissionais, o responsável pela Lava Jato no Rio se retirou da rede social, depois de bloquear usuários e ser questionado por deputados sobre recebimento indevido do benefício
por Redação RBA publicado 31/01/2018 11h51, última modificação 31/01/2018 11h58
Alegando motivos profissionais, o responsável pela Lava Jato no Rio se retirou da rede social, depois de bloquear usuários e ser questionado por deputados sobre recebimento indevido do benefício
Fernando Frazão/Agência Brasil
Bretas

Desacostumado a ser interpelado, Bretas foge do Twitter em meio à polêmica do auxílio-moradia

São Paulo – O juiz federal Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, anunciou nesta terça-feira (30) a sua saída do Twitter, um dia após ter se envolvido em polêmica pelo recebimento indevido de auxílio-moradia. Na segunda-feira (29), o jornal Folha de S.Paulo revelou que Bretas e sua esposa, também juíza, recebem dois auxílios-moradia, apesar de terem imóvel próprio na cidade. Norma do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) proíbe a dupla remuneração para casais que vivem no mesmo domicílio. 

A revelação causou indignação de usuários, que utilizaram o Twitter para questionar o magistrado. Muitos dos que o criticaram foram bloqueados pelo juiz. Bretas ainda ironizou, dizendo ter o "estranho hábito" de ir à Justiça quando pensa ter direito a algo.

Bretas também foi questionado pelo deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), e respondeu que o benefício era garantido individualmente a cada magistrado e, no seu caso, concedido mediante processo judicial público. Para o deputado, "o pedido em si é imoral", e mina as credenciais do juiz no combate à corrupção. 

O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) também questionou a "autoridade moral" do juiz para mandar encarcerar acusados de corrupção, quando "ele e a mulher também juíza ganham auxílio moradia residindo na mesma cidade onde trabalham? Que nome se dá a isso?”.

No final do ano passado, o juiz Bretas havia se envolvido em outra polêmica, ao postar uma foto empunhando um fuzil numa sessão de treinamento de tiro, e foi criticado ao posar com ares de "justiceiro".