Você está aqui: Página Inicial / Política / 2017 / 10 / 'Justiça espetáculo' destrói reputações, incentiva o ódio e mata

Feijóo

'Justiça espetáculo' destrói reputações, incentiva o ódio e mata

Caso dos agricultores presos no Paraná por 48 dias, depois absolvidos, e episódio do reitor da UFSC colocam a democracia e o Estado de Direito em risco
por Redação RBA publicado 10/10/2017 11h52
Caso dos agricultores presos no Paraná por 48 dias, depois absolvidos, e episódio do reitor da UFSC colocam a democracia e o Estado de Direito em risco
Reprodução/TVT
Justiça Espetáculo

Defensores da democracia têm que reagir "antes que a bárbara nos contamine", diz Feijóo

São Paulo – Após 48 dias presos preventivamente por decisão do juiz Sérgio Moro, três agricultores da cidade de Irati, no interior do Paraná, foram absolvidos da acusação de terem cometido desvios no no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Apesar da absolvição, "o estrago" já estava feito, e esse é mais um caso da "Justiça espetáculo", que condena previamente e destrói reputaçõesÉ o que afirma o analista político José Lopez Feijóo, no Seu Jornal, da TVT.

"A associação que organizava esses agricultores está praticamente paralisada. O dano à honra e à dignidade das pessoas presas injustamente, e das suas famílias, ninguém mais conserta. Teve até quem desistiu de ser agricultor e foi trabalhar na cidade", diz o comentarista. 

Com base em relato dos agricultores, Feijóo diz que a operação tinha a intenção de fragilizar o PAA, criado em 2003, para colaborar no combate à fome e fortalecer a produção da agricultura familiar. 

Outro episódio marcante da "Justiça espetáculo", segundo o comentarista, é o caso do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luiz Carlos Cancellier, que foi preso num dia, a pedido de uma juíza substituta que também atuou na Lava Jato, e solto no dia seguinte.

Além do constrangimento a que foi submetido com a prisão, ele ainda foi impedido de seguir ocupando o cargo de reitor da universidade. Dias depois, foi encontrado morto em um shopping, em Florianópolis. O caso suscitou protesto da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e causou consternação na comunidade acadêmica.

Para Feijóo, esses tipos de operação, classificadas como "Justiça espetáculo", servem apenas para "incentivar os grupos de ódio que se acham, a partir daí, no direito de perseguir minorias, atacar políticas de gênero, de raça, invadir museus, depredar obras de arte, fazer censura e tirar a liberdade das pessoas".

Assista ao comentário no Seu Jornal, TVT