Você está aqui: Página Inicial / Política / 2017 / 07 / Representantes do mercado comemoram decisão de Moro sobre Lula

Com medo de sua eleição

Representantes do mercado comemoram decisão de Moro sobre Lula

Para executivos e analistas, a candidatura do ex-presidente e sua possível eleição trariam mudanças à atual equipe econômica e tirariam a "tranquilidade" dos investidores
por Redação RBA publicado 12/07/2017 18h36, última modificação 12/07/2017 18h42
Para executivos e analistas, a candidatura do ex-presidente e sua possível eleição trariam mudanças à atual equipe econômica e tirariam a "tranquilidade" dos investidores
Rafael Matsunaga/Fotos Públicas
Bolsa de Valores

Após sentença, o mercado reagiu imediatamente, com dólar recuando e a bolsa subindo

São Paulo – Representantes do mercado comemoram hoje (12) a condenação do ex-presidente Lula, em primeira instância, pelo juiz Sergio Moro.

O diretor de câmbio da FB Capital, Fernando Bergallo, comentou que "a condenação vai evidentemente minar a sua candidatura para 2018, o que é muito bom para o mercado, pois, depois de validar essa condenação em segunda instância, mesmo com preferência popular, ele tem carimbada a sua saída da corrida presidencial em 2018". Para o executivo, uma possível candidatura e a volta do ex-presidente Lula "mudaria a equipe econômica que hoje é totalmente pró-mercado".

Segundo o educador financeiro do Blog de Valor, André Bona, a condenação do ex-presidente pegou o mercado um pouco desprevenido, embora ontem o Juiz Sergio Moro já tivesse informado que o processo estava pronto para a sentença. "Com isso, o mercado reagiu imediatamente, com dólar recuando e a bolsa subindo. A expectativa geral fica por conta de que, com a condenação, as chances de candidatura de Lula para 2018 estão praticamente descartadas e isso sugere uma continuidade nas iniciativas de melhoria das contas públicas e reformas. Estes fatos são apontados como muito positivos para o país”.

A "torcida" do mercado para a condenação ou possível prisão de Lula "no futuro", foi destacado pelo planejador patrimonial do Grupo GGR. "Os investidores estrangeiros têm o sentimento de uma melhora, assim como alguns investidores brasileiros. A aprovação da reforma trabalhista, como a prisão logo em seguida, mostram a força que o governo atual está e fará o Brasil caminhar com seus próprios passos", comentou.

As possíveis vantagens da condenação do ex-presidente para os investidores foi destacada pelo economista e diretor da Gradual Investimentos, Pedro Coelho Afonso. “O mercado reage de maneira muito positiva, bem forte. Primeiro que o Lula é uma carta fora do baralho para 2018, mesmo com as pesquisas mostrando ele como um candidato forte popularmente", comemorou.

Outro ponto favorável, segundo ele, é a chegada de um possível desfecho, já que os investidores atuavam com incertezas sobre estas questões. "É um momento que dá tranquilidade de que o Brasil tem sim confiança e segurança para investir”, disse.