Você está aqui: Página Inicial / Política / 2016 / 12 / Cidade de SP ganha prêmio de US$ 5 milhões por projeto 'Ligue os Pontos'

gestão haddad

Cidade de SP ganha prêmio de US$ 5 milhões por projeto 'Ligue os Pontos'

Prêmio Desafio dos Prefeitos incentiva desenvolvimento urbano sustentável. Valor será destinado à agricultura familiar
por Redação RBA publicado 02/12/2016 13h29, última modificação 02/12/2016 13h48
Prêmio Desafio dos Prefeitos incentiva desenvolvimento urbano sustentável. Valor será destinado à agricultura familiar
divulgação/Bloomberg Philanthropies
Haddad Mayors Challenge

Prefeito Fernando Haddad cumprimenta Michael Bloomberg, após vencer o Prêmio Mayors Challenge 2016

São Paulo – A cidade de São Paulo recebeu na última quarta-feira (30) o prêmio "Prêmio Mayors Challenge 2016", conhecido como Desafio dos Prefeitos, promovido pela Bloomberg Philanthropies, que incentiva iniciativas municipais que promovam o desenvolvimento urbano sustentável.

A capital paulista concorreu com o projeto Ligue os Pontos, plataforma digital que pretende potencializar políticas públicas relacionadas à cadeia de valor da agricultura local, envolvendo produtores, distribuidores e consumidores, com o objetivo de contribuir para facilitar e ampliar a distribuição do alimento produzido pela agricultura familiar até a mesa das crianças nas escolas, por exemplo.

Como vencedora, a capital paulista recebeu um aporte de US$ 5 milhões da entidade comandada pelo ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg para implementar o projeto apresentado.

"São Paulo é uma cidade de diversas faces, visíveis na pujança de sua indústria, no seu comércio e na sua cultura. Para mim, é um orgulho muito grande falar desta face pouca conhecida: a de 40 mil pessoas, que vivem na zona rural de São Paulo e que ainda esperam o reconhecimento do território rural como parte integrante da cidade", afirmou o prefeito Fernando Haddad.

São Paulo concorreu com projetos apresentados por outras 289 cidades. Entre as finalistas, estavam as cidades de Bogotá (Colômbia), com um projeto de educação no transporte escolar, Santiago (Chile), com programa de atividade física nas escolas para combater a obesidade, Guadalajara (México), com a apresentação de um banco de dados públicos para processos de licitação, e Medellín, que mostrou o Banco na Quadra, que permite pequenas operações de crédito sem burocracia e que eliminou a presença de intermediadores ilegais ligados ao tráfico de drogas.

Segundo Haddad, o projeto apresentado por São Paulo busca multiplicar por três vezes a renda de famílias em situação de grande vulnerabilidade social, inserindo-os na cadeia produtiva agrícola. "É uma simples plataforma de encontro entre produtores e consumidores e oferece ao poder público municipal uma preciosa ferramenta de articulação de ações setoriais para formular políticas públicas integradas", afirmou.

Marca de governo

O incentivo à agricultura urbana tem sido uma marca da gestão Haddad na cidade de São Paulo. Com o programa Agriculturas Paulistanas, a prefeitura oferece assistência técnica, acesso a equipamentos e prioridade nas compras públicas para produtos da agricultura familiar produzidos na própria cidade.

Já no Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIR), apresentado em abril de 2014 como forma de reduzir os impactos da produção de lixo orgânico, a prefeitura distribuiu composteiras para que cidadãos façam a compostagem dos restos de alimentos e utilizem esse recurso em hortas comunitárias urbanas. O plano também previu o recolhimento desse adubo para distribuir aos agricultores familiares e o aproveitamento dos rejeitos produzidos nas feiras livres.

Essas e outras ações renderam reconhecimento da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que enviou documento saudando avanços alcançados pela atual gestão na implementação da Política Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, com destaque para a aprovação da Lei 15.920/2013, que estabeleceu os componentes municipais do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan).

Também foi lembrada pela FAO a regulamentação que reestruturou o conselho municipal e também a instituiu a Câmara Intersecretarial de Segurança Alimentar e Nutricional, além de outras iniciativas que visam a assegurar o direito humano à alimentação adequada e a adoção de medidas para o enfrentamento dos distúrbios e doenças decorrentes da alimentação inadequada.

Com informações da prefeitura de São Paulo