Você está aqui: Página Inicial / Política / 2016 / 03 / Dilma diz repudiar com 'veemência e indignação' citações de Delcídio

em nota

Dilma diz repudiar com 'veemência e indignação' citações de Delcídio

Presidenta destaca que houve tentativa de envolvimento do seu nome em uma iniciativa pessoal do ministro da Educação, sem que ela nada tenha a ver com episódio
por Hylda Cavalcanti, da RBA publicado 15/03/2016 18h03, última modificação 15/03/2016 18h08
Presidenta destaca que houve tentativa de envolvimento do seu nome em uma iniciativa pessoal do ministro da Educação, sem que ela nada tenha a ver com episódio
memória/ebc
dilma.jpg

Presidenta reuniu em seu gabinete, em caráter de emergência, alguns dos principais ministros da articulação

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff divulgou nota hoje (15) na qual diz que repudia “com veemência e indignação” o que chamou de  tentativa de envolvimento do seu nome em iniciativa pessoal do ministro Aloizio Mercadante (da Educação) no episódio da divulgação de trecho da delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS). O vazamento da delação de Delcídio foi feito, desta vez, pela revista Veja e causou transtorno em Brasília por envolver o ministro da Educação e políticos de vários partidos – tanto oposição como base aliada do governo.

As informações obtidas no Palácio do Planalto são de que, assim que soube do teor da delação, a presidenta reuniu em seu gabinete, em caráter de emergência, alguns dos principais ministros da articulação política e logo depois chamou para uma conversa em reservado o ministro Mercadante.

A delação de Delcídio destaca que um assessor do senador, o jornalista Eduardo Marzagão, foi procurado por Mercadante, que se ofereceu para ajudar financeiramente a família do parlamentar e contribuir com o pagamento dos advogados de defesa, sugerindo que em troca ele “tivesse calma” e dando a entender que agiria para tentar interferir na Operação Lava Jato, de forma a contribuir para que o senador fosse solto.

De imediato, foi feita uma interpretação, sobretudo por parte de deputados e senadores da oposição, de que a visita de Mercadante ao assessor de Delcídio, que foi gravada, teria sido a mando da presidenta Dilma Rousseff, uma vez que o ministro da Educação é um dos mais próximos da presidenta. No início da tarde, Mercadante negou qualquer possibilidade de vínculo de Dilma com o tema e disse que a gravação foi editada, porque além de demonstrar solidariedade ao senador , segundo ele, não fez nenhum pedido ou sugestão ao parlamentar.

Mercadante afirmou que sua visita ao assessor de Delcídio e seu gesto de solidariedade se deu pelo fato de ter tomado conhecimento que as filhas do senador estavam sendo vítimas de fortes ataques em redes sociais. Ele destacou que sua atitude consistiu numa iniciativa de caráter pessoal e não dele como ministro, nem tampouco atendendo a qualquer pedido de integrantes do Executivo ou da presidenta.

Íntegra da nota

Nota à Imprensa

A presidenta da República, Dilma Rousseff, repudia com veemência e indignação a tentativa de envolvimento do seu nome na iniciativa pessoal do ministro Aloizio Mercadante, no episódio relativo à divulgação, feita no dia de hoje, pela revista Veja.

Secretaria de Imprensa

Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República