Você está aqui: Página Inicial / Política / 2015 / 11 / Direitistas usam atentados na França para criticar PT e reafirmar posições

repercussão

Direitistas usam atentados na França para criticar PT e reafirmar posições

Deputado Jair Bolsonaro e pastor Silas Malafaia atacam discurso da presidenta Dilma na ONU, em que ela afirmou que o país está aberto para receber refugiados
por Redação RBA publicado 14/11/2015 15h53
Deputado Jair Bolsonaro e pastor Silas Malafaia atacam discurso da presidenta Dilma na ONU, em que ela afirmou que o país está aberto para receber refugiados
Divulgação
silasbolsonaro.jpg

Bolsonaro e Malafaia: oportunidade de discurso fácil para ampliar ódio ao governo e aos imigrantes

São Paulo – Os líderes conservadores estão usando as redes sociais neste sábado (14) para comentar a série de atentados em Paris, reafirmar suas posições e destilar um pouco mais de ódio contra o pensamento progressista e o governo Dilma Rousseff.

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) postou em sua página no Facebook foto de um texto manuscrito, em que critica a postura do governo sobre a imigração. “A entrada de estrangeiros sem qualquer controle permite que infiltrados (escória) leve o terror para o seio dos acolhedores. Dilma Rousseff anunciou na ONU que o Brasil está de braços abertos para receber todos os refugiados do norte da África. Estaríamos livres do terror já que o PT nega em termos uma lei contra o terrorismo? Depois da França, alguns ainda continuarão a me acusar de xenófobo ou extremista de direita?”, afirmou.

Já o pastor Silas Malafaia, com arroubos de sinceridade, está sendo duramente atacado pelos internautas no Twitter.

Confira as frases do pastor:

“Os assassinos do Islã cometem barbárie na França e a petralhada do governo permite gente desses países entrarem [sic] no Brasil sem nenhum tipo de verificação.”

“Quando denunciei em vídeo o discurso de Dilma , na ONU, falando em diálogo com o estado islâmico, o PT no TSE, tirou o vídeo do ar.”

“O governo dos petralhas abrem as portas para essa gente, sem nenhum controle, é a política ideológica deles.Vou ficar quieto? MIL VEZES NÃO!”

“Pede a Dilma agora para repetir o que disse, por ocasião da assembléia da ONU, diálogo com os assassinos do estado islâmico.UMA VERGONHA!”

“Estão reclamando do cristianismo no ocidente? Procurem uma nação islâmica para morar.Cambada de trouxas.Estou rindo da cara de vocês kkkkk.”

O senador deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) preferiu um tom um pouco mais sóbrio:

“É com tristeza e pesar que assistimos a mais esse crime contra humanidade. Paris faz parte da minha formação como ser humano e médico. É uma cidade exemplo no avanço dos direitos humanos. Estou indignado com a intolerância, o ódio e a raiva que o Estado Islâmico propaga. O ataque deles foi contra todos nós. O Brasil tem que se solidarizar neste momento de dor e estar ao lado da França.”