Você está aqui: Página Inicial / Política / 2015 / 05 / Sem Telhada, Carlos Bezerra Jr. é eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos

Assembleia de SP

Sem Telhada, Carlos Bezerra Jr. é eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos

'A ausência denota a importância que dão aqueles que têm essa postura a esse tipo de comissão', criticou o presidente
por Redação RBA publicado 21/05/2015 12h53, última modificação 21/05/2015 13h14
'A ausência denota a importância que dão aqueles que têm essa postura a esse tipo de comissão', criticou o presidente
Alesp/ Divulgação
Comissão de Direitos Humanos

Presidente disse que trabalhará sem derivar para 'embate político-eleitoral ou para a promoção pessoal'

São Paulo – A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, da Cidadania, da Participação e das Questões Sociais (CDH) da Assembleia Legislativa de São Paulo elegeu ontem (20) os deputados Carlos Bezerra Jr. (PSDB) como presidente e Beth Sahão (PT) como vice. O polêmico deputado Coronel Telhada (também do PSDB), que era indicado ao cargo, não compareceu à sessão. Ele está em licença não remunerada desde ontem e só deve retornar no próximo dia 29.

Para Carlos Bezerra Jr., a ausência de Telhada “fala por si só”. “A ausência denota a importância que dão aqueles que têm essa postura a esse tipo de comissão", afirmou ao portalTerra.  Telhada, que é ex-comandante da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) e tem 36 mortes no currículo, havia sido indicado pela liderança do partido a ocupar uma das três vagas do PSDB no colegiado – a bancada da sigla conta com 22 deputados.

O presidente disse que manterá a tradição da CDH de trabalhar sem que os temas derivem para o "embate político-eleitoral ou para a promoção pessoal", em clara alusão a Telhada. A indicação ao cargo foi alvo de críticas até mesmo dentro do PSDB. Bezerra chegou a dizer ao jornal Folha de S. Paulo que a atitude do partido era “surreal”. “Seria a mesma coisa que colocar uma pessoa com o meu perfil para comandar a Rota. A gente sabe que não vai dar certo e é a mesma situação surreal”, declarou.

A deputada Beth Sahão destacou a importância social dos temas que são abordados na comissão e seu papel de acolher as demandas da sociedade. Disse também esperar que a comissão "mantenha os avanços e conquistas" já obtidos na Assembleia, e que o trabalho seja em consenso "para minimizar o sofrimento dos excluídos dos seus diretos".

O deputado Raul Marcelo (Psol) também falou do importante papel social da CDH, "principalmente na situação social do Brasil, que convive com uma herança de extrema violência, onde por vezes o próprio Estado abusa da força".

Dos 11 titulares da comissão, nove estiveram presentes. Além do Coronel Telhada, também faltou o deputado André Soares (DEM). Participaram da sessão os suplentes João Paulo Rillo (PT) e Gilmaci Santos (PRB), além dos deputados Ricardo Trípoli (PSDB), Hélio Nishimoto (PSDB), Márcia Lia (PT), Adilson Rossi (PSB), Marta Costa (PSD), Clélia Gomes (PHS) e Luiz Carlos Gondim (SDD).

A comissão vai se reunir todas as quartas-feiras, às 15h.