Você está aqui: Página Inicial / Política / 2014 / 07 / TSE recebe 11 pedidos de candidatura a presidente, maior número desde 1998

eleições 2014

TSE recebe 11 pedidos de candidatura a presidente, maior número desde 1998

Recorde foi em 1989, na primeira eleição pós-ditadura: 22. Foram oito candidaturas em 1994, 12 em 1998, seis em 2002, oito em 2006 e dez em 2010
por Redação RBA publicado 07/07/2014 20h27
Recorde foi em 1989, na primeira eleição pós-ditadura: 22. Foram oito candidaturas em 1994, 12 em 1998, seis em 2002, oito em 2006 e dez em 2010

São Paulo – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu até sábado (5), último dia de prazo, 11 pedidos de registro de candidatura à Presidência da República para as eleições de outubro. Se confirmado, será o maior número desde 1998, quando houve 12 candidatos. O recorde é de 1989, na primeira eleição direta para presidente depois do final da ditadura (1964-1985): 22. Foram oito em 1994, seis em 2002, oito em 2006 e dez em 2010. Os pedidos de registro dos candidatos aos demais cargos em disputa (governador e vice, senador e suplentes, deputado federal e deputado estadual/distrital) foram apresentados nos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

O PT protocolou o registro da candidatura de Dilma Rousseff e de Michel Temer, a presidente e vice. O partido (número 13) estimou em R$ 298 milhões o gasto máximo da campanha. Os senadores Aécio Neves e Aloysio Nunes, candidatos do PSDB ( número 45), devem gastar R$ 290 milhões.

Eduardo Campos e Marina Silva, do PSB (número 40), estimam gasto máximo de R$ 150 milhões. Já o PV (43), que tem Eduardo Jorge e Célia Sacramento na chapa, preveem gasto máximo de R$ 90 milhões.

Everaldo Pereira e Leonardo Gadelha, do PSC (20), orçaram a campanha em R$ 50 milhões. José Maria Eymael e Roberto Lopes, do PSDC (27), devem gastar R$ 25 milhões.

O PRTB (28), com José Levy Fidelix da Cruz e José Alves de Oliveira, espera gastar R$ 12 milhões. Já os candidatos do Psol (50), Luciana Genro e Jorge Leonardo Paz, devem gastar no máximo R$ 900 mil com a campanha.

O PSTU (16) indicou ao TSE José Maria de Almeida e Claudia Durans, com previsão de gastos de R$ 400 mil. O PCO (29), com Rui Costa Pimenta e Ricardo Machado, prevê gasto de R$ 300 mil.

A campanha mais modesta é a dos candidatos indicados pelo PCB (21), Mauro Luís Iasi e Sofia Manzano. O limite de gastos informado pelo partido é de R$ 100 mil.

Segundo dados do TSE, ainda não definitivos, além dos 11 candidatos a presidente (e respectivos vices), a eleição deste ano mostra 140 candidatos a governador, 146 a senador, 4.509 a deputado federal e 11.228 a deputado estadual.

Para acessar as informações dos candidatos a todos os cargos em disputa nestas eleições, acesse o sistema DivulgaCand 2014.

Com informações do TSE