Você está aqui: Página Inicial / Política / 2014 / 02 / Promotor se diz convencido sobre participação de José Serra em cartel do Metrô

investigações

Promotor se diz convencido sobre participação de José Serra em cartel do Metrô

Apesar disso, Marcelo Milani pediu aprofundamento das apurações sobre envolvimento de ex-governador do PSDB em conluio com empresas do setor metroferroviário
por Redação RBA publicado 27/02/2014 11:15, última modificação 05/03/2014 09:35
Apesar disso, Marcelo Milani pediu aprofundamento das apurações sobre envolvimento de ex-governador do PSDB em conluio com empresas do setor metroferroviário
CC / Erika K Nakamura / DCM
serra-metro.jpg

Para MP, ex-governador sabia que empresas fraudaram licitações, superfaturaram preços e pagaram propinas

São Paulo – O promotor de Justiça do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) Marcelo Camargo Milani disse ontem (26) que há indícios da ação do ex-governador do estado José Serra (PSDB) no cartel de contratos de trem e metrô em administrações tucanas, esquema instalado desde 1998, ainda na gestão de Mario Covas (PSDB).

Um inquérito civil do MP-SP, aberto por Silvio Antonio Marques, promotor de Justiça do Patrimônio Público e Social, já trata da omissão de Serra na questão do cartel durante sua gestão, que durou de 2007 a 2010. No documento, é apontado que o ex-governador sabia que as empresas do ramo metroferroviário – dentre elas Alstom e Siemens – fraudaram licitações, superfaturaram preços ofertados e pagaram propinas a funcionários públicos.

Agora, Marcelo Milani vê indícios da participação do tucano na reforma de duas composições da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em 2008, baseado em depoimento do ex-diretor da Siemens Nelson Branco Marchetti à Polícia Federal. O executivo afirma que Serra lhe disse, em uma feira na Holanda, que, caso a Siemens conseguisse na Justiça desclassificar a empresa espanhola CAF em uma licitação de compra de trens, cancelaria a concorrência, pois o preço da multinacional alemã era 15% maior.

Milani, que declarou ter firmado opinião sobre os indícios da participação do ex-governador no esquema, solicitou “uma investigação mais aprofundada” ao procurador-geral de Justiça, Márcio Elias Rosa, chefe do Ministério Público Estadual.

Com informações de Estadão e Brasil 247

Leia mais sobre Metrô: