Você está aqui: Página Inicial / Política / 2013 / 10 / Dilma rebate Marina e diz que contas estão 'absolutamente' sob controle

resposta

Dilma rebate Marina e diz que contas estão 'absolutamente' sob controle

Presidenta lembra ainda que gastos com Previdência, pessoal e pagamento de juros estão em queda na relação com o PIB
por Redação RBA publicado 15/10/2013 17h01, última modificação 15/10/2013 18h02
Presidenta lembra ainda que gastos com Previdência, pessoal e pagamento de juros estão em queda na relação com o PIB
Roberto Stuckert Filho/Planalto
dilma_salvador_stuckert.jpg

Nos últimos dias, a presidenta tem sido levada a opinar sobre as eleições de 2014 em meio à aliança Marina-Campos

São Paulo – A presidenta Dilma Rousseff rebateu hoje (15) as declarações da ex-senadora e presidenciável de oposição Marina Silva (PSB), que deu seguidas declarações afirmando que o governo teria abandonado o “tripé macroeconômico” (contas públicas, câmbio e inflação).

Respondendo à pergunta de um jornalista, após cerimônia sobre mobilidade urbana em Salvador, Dilma afirmou que os três itens estão sob controle. “Jamais foi abandonado o tripé macroeconômico no governo. Inflação está sob controle, contas públicas absolutamente sob controle, inclusive com queda da participação no PIB dos três principais itens do Orçamento Público Federal, a saber: Previdência, pessoal e pagamento de juros. Quando foi que o Brasil teve entre US$ 376 bilhões e US$ 378 bilhões de reserva? Por isso, queridos, nunca foi abandonado”, disse a presidenta.

As declarações de Marina foram dadas após ela ter se filiado ao PSB, onde disputará a indicação para concorrer à Presidência da República, em 2014, com o governador de Pernambuco e presidente nacional da sigla, Eduardo Campos. Ela falou sobre o suposto abandono do tripé primeiro a uma plateia e empresários e banqueiros em São Paulo;,e depois durante evento em Recife.

Nos últimos dias, Dilma tem sido questionada sobre a aliança. Sem citar Marina e Campos, ela disse ontem que candidatos à Presidência precisam "estudar muito". Na semana passada, também sem tocar no nome dos adversários, afirmou estar preocupada em governar e não em pensar na disputa de 2014.