Você está aqui: Página Inicial / Política / 2012 / 08 / Projeto pela liberação da maconha chega à Câmara com 100 mil assinaturas

Projeto pela liberação da maconha chega à Câmara com 100 mil assinaturas

Proposta elaborada por juristas é entregue ao presidente Marco Maia, que vai colocá-la na internet para consulta pública antes de levar a voto
por Agência Câmara publicado 23/08/2012 08:12, última modificação 23/08/2012 08:12
Comments
Proposta elaborada por juristas é entregue ao presidente Marco Maia, que vai colocá-la na internet para consulta pública antes de levar a voto

Brasília - O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), recebeu ontem (22) representantes do movimento Lei de Drogas - É preciso mudar!, que apresentaram um anteprojeto de lei, elaborado por juristas, com mais de cem mil assinaturas de apoio, propondo a descriminalização do porte e do plantio de drogas para uso próprio. O objetivo é garantir aos dependentes químicos tratamento de qualidade e uma rede de apoio e atenção integral.

O grupo é formado por integrantes da igreja católica e evangélica, representantes da segurança pública e políticos, como o deputado Paulo Teixeira (PT-SP). O coordenador do grupo é o presidente da Comissão Brasileira sobre Drogas e Democracia, Paulo Gadelha. 

“A proposta é interessante, mas polêmica. Por isso, eu sugeri a iniciativa de colocar no [site] e-Democracia”, disse o presidente Marco Maia. 

“Vamos deixar a proposta no portal por 2 ou 3 meses. Depois as entidades devem encaminhar o projeto ao Congresso.” Maia disse ainda que a proposta pode ser encampada por um deputado e virar um projeto de lei de autoria desse parlamentar, ou chegar à Câmara como um projeto de lei de iniciativa popular.

“Esse debate é muito importante para o Brasil”, disse Maia, que descartou a possibilidade de atrelá-lo à discussão sobre reformas no Código Penal (Decreto-lei 2.848/40). 

O Senado analisa um anteprojeto de reforma do Código Penal, elaborado por uma comissão especial de juristas, que permite a descriminalização do plantio e do porte de maconha para consumo próprio.

comentários do blog alimentados pelo Disqus