Você está aqui: Página Inicial / Política / 2012 / 07 / CPMI do Cachoeira encerra sessão sem ouvir ninguém

CPMI do Cachoeira encerra sessão sem ouvir ninguém

Pessoas ligadas ao governador de Goiás, Marconi Perillo, não apareceram; Por escrito, testemunha confirma que recebeu cheque de empresa-fantasma ligada a Cachoeira
por Redação da RBA publicado , última modificação 03/07/2012 15h13
Pessoas ligadas ao governador de Goiás, Marconi Perillo, não apareceram; Por escrito, testemunha confirma que recebeu cheque de empresa-fantasma ligada a Cachoeira

O relator Odair Cunha informou que uma testemunha confirmou por escrito ter recebido cheque de uma empresa-fantasma (Foto: Leonardo Prado. Agência Câmara)

São Paulo – A reunião de hoje (3) da CPMI do Cachoeira foi encerrada sem nenhum depoimento. Quatro pessoas haviam sido convocadas, mas a comissão já estava informada de que três não iriam depor. Segundo o presidente, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), a única pessoa que deveria comparecer, Ana Cardozo de Lorenzo, não apareceu e não justificou a ausência. 

Segundo o relator do colegiado, deputado Odair Cunha (PT-MG), Ana enviou depoimento por escrito confirmando que recebeu um cheque de R$ 28 mil da empresa fantasma Alberto & Pantoja Construções. A Polícia Federal havia informado que eram dois cheques, no valor total de R$ 56 mil. O relator diz que vai investigar o destino do segundo cheque encontrado pela PF. Segundo a Operação Monte Carlo, a Alberto & Pantoja é uma empresa de fachada criada pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, para lavar dinheiro da empreiteira Delta.

Parlamentares de todos os partidos se reunirão no gabinete de Vital do Rêgo para definir os procedimentos de convocação de novos depoentes e o rito da reunião administrativa desta quinta-feira (5). Antes, a comissão havia decidido antecipar a reunião de quinta-feira para as 9h. O horário anterior era 10h15.

Na sessão de quinta-feira devem ser votados os requerimentos para as convocações do ex-presidente da Delta Construções S.A., Fernando Cavendish, e do ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot. Vital do Rêgo disse também que a CPMI poderá convocar novamente pessoas que se recusaram a falar. “Vamos fazer uma seleção das necessidades mais prementes de alguns depoimentos serem recolhidos novamente”, afirmou o presidente.

Convocados

Também deveria depor hoje Rosely Pantoja da Silva, sócia da Alberto & Pantoja, mas ela não foi encontrada pela comissão. Ela será reconvocada. Outro convocado, Edivaldo Cardoso, ex-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de Goiás, estava viajando e não recebeu a intimação da comissão. Ele também será reconvocado. 

Por fim, Joaquim Gomes Thomé Neto veio e apresentou atestado médico por ter feito um exame de cateterismo na quarta-feira (26). Além disso, ele conseguiu habeas corpus para permanecer em silêncio sem ser preso. A decisão foi tomada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ayres Britto, na segunda-feira (2).