Você está aqui: Página Inicial / Política / 2012 / 06 / Com PP, Haddad ganha três minutos na TV e mais inserções diárias

Com PP, Haddad ganha três minutos na TV e mais inserções diárias

Segundo Antonio Donato, coordenador da campanha petista, apoio também é importante para garantir maioria na Câmara, em caso de vitória
por Sarah Fernandes, da RBA publicado , última modificação 21/06/2012 16h22
Segundo Antonio Donato, coordenador da campanha petista, apoio também é importante para garantir maioria na Câmara, em caso de vitória

Haddad ganha o tempo que Serra perde, já que os tucanos cogitavam a aliança com o PP (Foto:Valter Campanato/ABr)(Foto:Valter Campanato/ABr)

São Paulo – Um minuto e meio a mais na propaganda eleitoral do candidato Fernando Haddad (PT). Os críticos da aliança do PT com PP, na cidade de São Paulo, têm questionado nos últimos dias se valeu a pena enfrentar o desgaste de aliar-se a Paulo Maluf (que controla o PP em São Paulo) em troca de "tão pouco tempo" na TV.

O cálculo que o PT faz, no entanto, é bem diferente. Segundo o coordenador da campanha de Haddad, vereador Antonio Donato, esse número deve ser multiplicado por dois (já que são dois blocos de propaganda, de manhã e à noite), sem contar que a aliança também elevará o total de pequenas inserções ao longo da programação de rádio e TV.

Além disso, lembra o vereador, o tempo que Haddad ganha é o mesmo que seu principal adversário, José Serra (PSDB) perde, já os tucanos também cogitavam a aliança com o PP. 

“Esta coligação agrega um minuto e 35 segundos no tempo de TV e tira o mesmo tempo do outro lado nos programas da manhã e da noite. São três minutos em cada bloco”, afirmou Donato em coletiva de imprensa realizada ontem (20). “Teremos também mais inserções. Se elas forem de 30 segundos, por exemplo, teremos três a mais.” 

O número e o tempo das inserções pontuais na TV e no rádio ainda não estão definidos, pois dependem da confirmação do total de candidatos à prefeitura, de acordo com Donato. Ele defendeu a estratégia como forma de levar à população às propostas do candidato. 

“O que o povo leva em conta são as demandas que ele tem para melhora para sua vida, por isso queremos tempo de TV para apresentar nossas propostas”, declarou Dontato. “O PT se apoia na força de sua militância, mas para governar precisa ampliar. Para realizar mudanças é necessário ganhar as eleições.”

O petista também lembrou que a entrada do PP e de outros partidos na coligação serão fundamentais para ajudar o futuro governo, caso Haddad seja eleito, na hora de aprovar projetos. “O governo da Erundina, por exemplo, foi de muitas ideias, mas não aprovou nada na Câmara porque tinha minoria e, por isso, ela foi mal avaliada pela população.”

O vereador negou que o PT vá se aliar a partidos menores para garantir ainda mais tempo de TV. “Dá muito trabalho e pouco resultado.”

Caso Erundina

Donato afirmou que a deputada federal Luiza Erundina foi avisada sobre a aliança antes de anunciar sua candidatura a vice na chapa de Haddad, da qual desistiu na última terça-feira. “Ela tratou com naturalidade no início. Parece que ficou mais incomodada com a foto (que retrata Lula, Maluf e Haddad juntos)”, avaliou. “É evidente que nosso sistema político gera contradições e quem está no jogo tem de jogar o jogo.”

Novo vice

Sem pressa para escolher o novo vice da chapa, Donato admitiu que existe maior probabilidade de o nome vir do PCdoB, caso o vereador Netinho de Paula desista de concorrer à prefeitura, e caso a aliança entre os partidos seja confirmada, o que pode ocorrer amanhã (22). “Temos conversa mais avançada com PCdoB e esperamos que eles concluam debate interno e participem da decisão de candidato a vice junto com partidos da aliança”, declarou. 

O nome da deputada estadual Leci Brandão, também do PCdoB, foi citado em notas de jornais e nas redes sociais como possível ocupante da vaga de vice de Haddad. Porém, ela afirmou hoje, em sua página do Facebook: “Não pedi para ser vice-prefeita de ninguém! Estou deputada, fazendo nosso trabalho com dignidade, consciência e transparência, mas sou artista!".