Você está aqui: Página Inicial / Política / 2011 / 09 / Com posse restrita, Gastão Vieira defende prioridade a turismo interno

Com posse restrita, Gastão Vieira defende prioridade a turismo interno

Ministro se disse "assustadíssimo" com o desafio e evitou falar em propostas para o setor por conta do cenário econômico internacional
por Redação da RBA publicado 16/09/2011 17h41, última modificação 16/09/2011 19h24
Ministro se disse "assustadíssimo" com o desafio e evitou falar em propostas para o setor por conta do cenário econômico internacional

Sob olhar de Sarney, padrinho de Gastão Vieira, Dilma empossou novo ministro do Turismo em cerimônia fechada à imprensa (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

São Paulo - O novo ministro do Turismo, Gastão Vieira, tomou posse na tarde desta sexta-feira (16), em cerimônia restrita em Brasília. O cerimonial da Presidência informou que não houve tempo hábil para organizar uma solenidade mais ampla. O ex-titular da pasta, o quinto a deixar a Esplanada dos Ministérios na gestão Dilma, Pedro Novais, sequer participou do evento.

Vieira prometeu priorizar o turismo interno. "Chego em um momento em que o cenário econômico internacional não me permite citar trechos que escrevi sobre possibilidades de crescimento do turismo brasileiro. É bom ser prudente”, avisou. A aposta para o setor será no mercado interno, a maior "riqueza" do Brasil neste momento.

Posses de ministro ocorrem, costumeiramente, em salões maiores do Palácio do Planalto. Por ter sido programada para a Sala de Audiências, com capacidade para abrigar menos gente, a imprensa ficou de fora.

Participaram os ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil), Antonio Patriota (Relações Exteriores), Ideli Salvatti (Relações Institucionais). O presidente do Senado, José Sarney (PMDB), apontado como principal padrinho político do parlamentar, e amigos do ministro também estiveram presentes.

Deputado federal pelo Maranhão no quinto mandato legislativo, ele admitiu ter ficado "assustadíssimo" com o desafio de assumir o cargo, quando foi convidado oficialmente pela presidenta. "Foi a primeira vez que acho que o medo facilitou a decisão", afirmou. A Dilma, assumiu: "Eu estava com tanto medo que nem se eu quisesse eu podia dizer 'não' para a senhora." No fim do discurso, Vieira disse ter se acalmado pela emoção.

Ao deixar a Câmara, o peemedebista Gastão Vieira dá lugar a Costa Ferreira (PSC-MA), segundo suplente da coligação. Pedro Novais deve ser reconduzido ao mandato. Novais pertence ao mesmo partido e tem origem também no Maranhão.

Além de Novais, caíram Antonio Palocci (Casa Civil), em junho, Alfredo Nascimento (Transportes), em julho, Nelson Jobim (Defesa) e Wagner Rossi (Agricultura), em agosto. Os atuais titulares da Secretaria de Relações Institucionais e da Pesca, Ideli Salvatti e Luiz Sérgio, trocaram de posição em junho.

A posse a Vieira foi dada por Dilma depois de voltar de Belo Horizonte, onde participou de evento comemorativo aos mil dias que faltam para o início da Copa do Mundo de 2014. Neste sábado (17), ela embarca para os Estados Unidos, onde vai se preparar para a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), de 21 a 23 deste mês.

Com informações da Reuters e da Agência Brasil