Você está aqui: Página Inicial / Política / 2011 / 08 / Hotel diz que repórter da revista Veja tentou entrar em quarto de Dirceu

Hotel diz que repórter da revista Veja tentou entrar em quarto de Dirceu

por Da redação do Sul21 publicado , última modificação 27/08/2011 08h55

Porto Alegre - O setor de segurança do Hotel Naoum, de Brasília, registrou na quinta-feira (25) boletim de ocorrência por tentativa de violação de domicílio contra o repórter da revista Veja, Gustavo Ribeiro. Ele teria tentado, por duas vezes, entrar no quarto em que estava hospedado o ex-ministro da Casa Civil e membro da direção nacional do PT, José Dirceu.

A informação foi divulgada na sexta (26), pelo próprio José Dirceu, em seu site pessoal. Segundo a ocorrência, registrada na 5ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal, o repórter da revista se hospedou em uma suíte ao lado da que Dirceu ocupava. A uma camareira, o jornalista disse ter perdido as chaves do quarto, alegando estar hospedado na suíte que na verdade era de José Dirceu. A funcionária comunicou o fato à direção do hotel. O repórter tentou entrar no quarto uma segunda vez, fazendo-se passar por um assessor da prefeitura de Varginha (MG) que necessitava entregar documentos ao ex-ministro.

A revista Veja publicou uma reportagem sobre as movimentações de José Dirceu em Brasília. Outro repórter da semanal encaminhou perguntas ao ex-ministro questionando se os encontros com “agentes públicos” no hotel envolveriam “demandas parlamentares”, “votações no Congresso” e “articulações políticas”.

“Soube, por diversas fontes, que outras pessoas ligadas ao PT e ao governo foram procuradas e questionadas sobre suas relações comigo. Está evidente a preparação de uma farsa, incluindo recurso à ilegalidade, para novo ataque da revista contra minha honra e meus direitos”, afirma José Dirceu, em seu blog.

Até o momento, a revista não se manifestou sobre o episódio. Em seu blog no site da Veja, o jornalista Reinaldo Azevedo afirmou que José Dirceu está tentando intimidar a revista. “Trata-se de uma tentativa de intimidar a revista para ver se consegue impedir que a reportagem apurada seja publicada. É a famosa cortina de fumaça”, escreveu o articulista. A cópia do boletim de ocorrência foi disponibilizada no site de José Dirceu.