Você está aqui: Página Inicial / Política / 2011 / 08 / Dilma ministra aula inaugural de curso de medicina na terra de Lula

Dilma ministra aula inaugural de curso de medicina na terra de Lula

por Redação da RBA publicado , última modificação 29/08/2011 16h29

São Paulo - Na primeira visita a Pernambuco desde a posse, a presidenta Dilma Rousseff visita três cidades nesta terça-feira (30). Uma das paradas é Garanhuns (PE),  a 230 quilômetros da capital do estado, terra natal de Luiz Inácio Lula da Silva. Lá, ela ministra aula inaugural do curso de medicina da Universidade de Pernambuco (UPE) a partir das 15h.

A universidade estadual possui campi em sete cidades, além de atender outros municípios em cursos à distância. Dilma visita a Faculdade de Ciências, Educação e Tecnologia de Garanhuns, que, com o curso de medicina, passa a oferecer oito graduações. A decisão de criar o curso foi tomada em 2010.

O início das aulas do curso de medicina será no dia 5 de setembro. Em seu site, ao anunciar a presença da presidenta, ladeada pelo governador do estado, Eduardo Campos, para a aula inaugural, a UPE não informa o teor da aula. Mas avisa aos estudantes que "não haverá prejuízo aos alunos ou redução da carga horária exigida pelo currículo do curso".

Dilma também irá para Recife e Cupira (PE). Na cidade a 170 quilômetros da capital, a presidenta irá desembarcar às 10h, onde participa do início das obras de duas barragens – Panelas II e Gatos – e assina convênio para assegurar contrapartidas do município às obras, previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Parte do plano do governo estadual para conter enchentes, as barragens têm custo estimado de R$ 65 milhões – a União deve oferecer a maior parte, R$ 50 milhões. A iniciativa deve evitar a repetição de cheias como as que ocorreram em 2010 na Mata Sul.

A expectativa é de que ocorra ainda um encontro político com autoridades locais. Governadores de estados do Nordeste foram convidados e podem trazer preocupações com o andamento de algumas discussões no Congresso Nacional que podem trazer impactos ao Orçamento, como a regulamentação da emenda 29 da Constituição – com mais recursos para a Saúde – e a proposta de emenda constitucional (PEC) 300, que eleva o piso salarial de bombeiros e policiais.