Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 11 / Cardozo minimiza formação de bloco comandado por PMDB

Cardozo minimiza formação de bloco comandado por PMDB

por João Peres, da RBA publicado , última modificação 18/11/2010 11h21

São Paulo – Um dos coordenadores da transição de governo, José Eduardo Cardozo, minimizou a formação, no Congresso, de um bloco comandado pelo PMDB. O deputado federal e secretário-geral do PT considera que seu partido não deve participar do acordo que, segundo peemedebistas, congrega mais de duzentos parlamentares.

“É uma questão que envolve a Câmara e o governo em curso. Não tem porque nos manifestarmos nesse momento. Sabemos que as lideranças estão conversando e a situação me parece que estará normalizada. Eu não vejo muito sentido no PT participar desse bloco. Não vejo razão para isso”, disse Cardozo em entrevista à Agência Brasil.

O PMDB, que conseguiu a adesão de PR, PP, PTB e PSC, assegura que o bloco não tem a função de ganhar a presidência da Câmara no início da próxima legislatura. Pelo consenso da Casa, caberia ao PT, com a maior bancada, este cargo. Líderes do partido têm dito que o bloco serve para organizar os trabalhos de deputados, mas há quem avalie que a presidente eleita, Dilma Rousseff, terá de negociar ponto a ponto com esta base as votações de interesse de seu governo. Foi este o assunto da conversa desta quarta-feira (17) entre Dilma e o vice-presidente eleito, Michel Temer, do PMDB.  O atual presidente da Câmara manteve encontro também com o líder de seu partido, Henrique Alves, e o líder do PT, Cândido Vaccarezza, que descartou aderir ao bloco.

Ministérios

Dilma encontrou-se também com os articuladores da equipe de transição para definir prioridades. Neste momento, Cardozo e o ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, têm frequentado os ministérios para saber sobre a real situação de cada pasta, detectando prioridades e a necessidade de mudanças. “É uma transição tranquila porque é uma transição entre governos de continuidade. Não existe nada traumático, nada problemático”, destacou Cardozo, que aproveitou para negar que exista dificuldade na definição do primeiro escalão do próximo governo. “É uma situação geral que está sendo avaliada. A Dilma formará, com certeza, uma grande equipe para atender aos desafios do país no próximo período.”

“A presidenta eleita vai definir essa questão. Não tivemos ainda nenhuma sinalização, mas o presidente [do PT] José Eduardo Dutra continua fazendo contatos com os partidos e tenho certeza que vamos chegar, em um bom tempo, a um resultado positivo.”