Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 11 / Assessora de Serra nega baixaria e acusa campanha de Dilma

Assessora de Serra nega baixaria e acusa campanha de Dilma

por Redação da RBA publicado 01/11/2010 13h57, última modificação 01/11/2010 14h10

(Foto: José Cruz/Abr)

São Paulo – Passado o dia de votação, a discussão sobre o baixo nível adotado na campanha eleitoral, especialmente no segundo turno, foi um dos principais temas de um debate entre Soninha Francine, assessora da coligação de oposição para a internet, e Emídio de Souza, prefeito de Osasco (SP). Na TV Terra, a coordenadora para internet do candidato derrotado José Serra (PSDB) negou que tenha promovido uma campanha de baixarias e atribuiu esse tipo de ação aos aliados da presidente eleita Dilma Rousseff (PT).

"Os blogs relacionados ao site da candidata, o blog Amigos do Presidente Lula, o Blog da Dilma, endossados pela candidata, pelo presidente, espalhavam barbaridades", afirmou Soninha. Ela diz que essas páginas promoviam "baixarias de todos os tipos", como desmentidos sobre a autoria da emenda do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e do programa de medicamentos genéricos.

Ela menciona ataques desses blogs relacionados na página da candidata petista a Serra, qualificando-o de "Zé Mentira", "Zé Alagão", e "covarde, que fugiu da ditadura". Soninha defende que, ao indicar outras páginas, a campanha estaria endossando seu conteúdo, insinuando também que os aliados da candidata instrumentalizariam os blogs. "Quem chamou Serra de covarde foi a campanha (de Dilma)", acusou a assessora.

Questionada sobre o vídeo "2012, o fim está próximo", publicado pelo blog Vou de Serra 45, indicado na página oficial do candidato, Soninha alegou que a recomendação foi excluída no dia seguinte à divulgação do material. Apesar de a edição, inspirada no filme homônimo, sugerir que o Brasil entraria em crise em um governo Dilma, Soninha qualificou a peça de "sátira" e "humor de mau gosto".

Emídio de Souza fez críticas à condução da campanha tucana inclusive na TV. Ele lembrou que a propaganda eleitoral de Serra afirmava que Dilma não tinha biografia e negava que ela tivesse atuação de luta contra a ditadura e no movimento pelas Diretas Já.

"Se tem uma coisa que o Serra não é nessa campanha é vítima", disse Emídio. Para o prefeito de Osasco, a campanha tucana tentou desqualificar a candidata adversária o tempo todo. Ele insinuou também que partiu de aliados de Serra a dispersão de e-mails e panfletos apócrifos com boatos a respeito do aborto e de temas sensíveis a setores religiosos do eleitorado.

Assista ao trecho do debate