Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 10 / Militantes do PV tomam posição no 2º turno apesar de neutralidade da legenda

Militantes do PV tomam posição no 2º turno apesar de neutralidade da legenda

por Redação da RBA publicado , última modificação 18/10/2010 20h30

Serra se confraterniza com Gabeira e Feldman, candidatos derrotados aos governos do Rio de Janeiro e de São Paulo (Foto: Cacalos Garrastazu/Obritonews/Divulgação)

São Paulo - Militantes do PV anunciaram nesta segunda-feira apoio aos candidatos à Presidência da República que disputam o segundo turno. Enquanto lideranças como Fernando Gabeira (RJ) e Fábio Feldman (SP) decidiram endossar o oposicionista José Serra (PSDB), o presidente do PV, Antonio Jorge Melo Viana, declarou votar em Dilma Rousseff (PT).

As manifestações ocorrem um dia depois de a convenção da legenda ter decidido pela neutralidade no pleito. Assim, a posição dos membros do PV são pessoais e não traduzem a visão do partido.

Ex-filiado do PSDB, Feldmann destacou características de Serra que o aproximam das causas do PV. "Trabalhamos juntos na Assembléia Nacional Constituinte. E quem trabalha e convive com o Serra, sabe que o Serra é um homem obstinado pelo bem. O candidato Serra desde a Constituinte apoiou a inclusão de um capítulo sobre meio ambiente, que ainda hoje é considerado, depois de 20 anos, uma referência no mundo".

Gabeira fez um breve discurso e exaltou alguns pontos do programa de governo de Serra. "Uma das coisas que mais me fascinam na proposta do Serra é dizer que ele quer um governo de unidade nacional. Numa eleição tão raivosa como essa, a proposta de um governo de unidade nacional é um coisa que soa como um elixir", opinou.

Já Viana justifica a adesão à candidata governista pela rejeição aos tucanos. "Temos uma história de luta de 24 anos e sempre em uma posição de esquerda. O PV do Paraná nunca se aliou ao PFL ou ao PSDB. Entre o projeto do governo atual e o projeto neoliberal anterior, ficamos com o atual. Se alguém me apontar um brasileiro que esteja vivendo em piores condições do que há oito anos, talvez eu mude de opinião", desafia. Viana foi secretário do governo de Roberto Requião (PMDB) no Paraná.

Juca Ferreira, ministro da Cultura e fundador do PV, já havia anunciado apoio a Dilma. Embora tenha pedido a suspensão da filiação no início do ano, Ferreira defendia que Marina Silva, candidata do partido à Presidência e terceira colocada no primeiro turno, tomasse posição pela petista. Gilberto Gil, ex-ministro da Cultura, também declarou apoio à petista em vídeo, no sábado (16).

Com informações da Agência Brasil