Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Rejeição de Serra é maior que a de Dilma no estado em que tucano governou

Rejeição de Serra é maior que a de Dilma no estado em que tucano governou

Divulgação de detalhes da pesquisa Datafolha mostra que ex-governador caiu cinco pontos no Sul e que candidata do PT avançou seis entre os de maior escolaridade
por João Peres, da RBA publicado , última modificação 06/09/2010 17h31
Divulgação de detalhes da pesquisa Datafolha mostra que ex-governador caiu cinco pontos no Sul e que candidata do PT avançou seis entre os de maior escolaridade

São Paulo – A divulgação da íntegra da pesquisa Datafolha publicada no último fim de semana traz alguns recortes interessantes na disputa presidencial. Se no plano geral houve pouca variação, com Dilma Rousseff e José Serra oscilando um ponto, a primeira para cima e o segundo para baixo, as informações interessantes moram nos detalhes.

A rejeição ao candidato do PSDB no estado de São Paulo está em 29%, três pontos acima da candidata do PT. Na capital paulista, o percentual dos que não votariam de jeito nenhum no tucano é de 32%, contra 33% da petista. O ex-governador perde também em dois recortes que até há pouco tempo lhe eram mais favoráveis. No Sul do país, onde a intenção de voto dele caiu 5 pontos em uma semana (36 para 31%), a rejeição está em 21%, contra 19% de Dilma. Entre os que têm nível superior, 36% não votariam de jeito nenhum em Serra, seis pontos a mais que o registrado na semana anterior – no mesmo período e no mesmo estrato, a variação de Dilma foi de um ponto, de 32 para 33%. Neste setor, o de maior escolaridade, a ex-ministra chegou a 42% dos votos, seis pontos a mais que o levantamento anterior, ao passo que o tucano caiu de 33% para 29%.

Possibilidade de mudança

A levar em conta a pesquisa Datafolha, é pequena a possibilidade de mudança dos votos: 81% dos entrevistados se dizem totalmente decididos. Entre os eleitores de Dilma, o percentual é maior, de 85%, contra 77% entre os eleitores de Serra.

Caso ocorra uma mudança, no entanto, o tucano teria mais condições de se favorecer. Entre os que dizem poder alterar o candidato, 31% votariam no tucano, contra 21% de Dilma.

Por outro lado, a expectativa de vitória na candidata da situação passou de 63% para 69% em um espaço de dez dias. Apenas 15% acreditam que Serra sairá vencedor.