Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Procurador-geral da República diz que só investigará ministra se “houver algo consistente”

Procurador-geral da República diz que só investigará ministra se “houver algo consistente”

por Débora Zampier, da Agência Brasil publicado , última modificação 15/09/2010 19h24

Brasília - O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta quarta-feira (15) que o Ministério Público não tem nenhum elemento que aponte o envolvimento da ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, em um suposto esquema de tráfico de influência envolvendo seu filho, Israel Guerra. “As notícias apontam para fatos graves, mas não temos elemento nenhum ainda que aponte a responsabilidade, se envolve ou não envolve a ministra”, disse Gurgel.

Ainda segundo o procurador, o caso será acompanhado pela Procuradoria da República do Distrito Federal enquanto não houver algo consistente que ligue a ministra ao que foi denunciado pela revista Veja. O caso só será apurado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) caso a ministra esteja envolvida, já que ela tem foro privilegiado.

O ministro afirmou que ainda não analisou os pedidos de abertura de inquérito protocolados na PGR ontem por parlamentares do PSDB, PPS e DEM. Ele disse também que o fato de as denúncias terem saído em período eleitoral não influenciará a atuação do Ministério Público.

“De um lado, o MP não servirá de instrumento daqueles que têm interesse em mostrar o envolvimento do governo e, por outro, não deixará de apurar para preservar qualquer posição do governo. O Ministério Público tem a preocupação de não virar instrumento nem da campanha da ministra Dilma nem da campanha do governador Serra”, disse Gurgel.

registrado em: