Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Com sete candidatos, falta tempo para aprofundar debate no RS

Com sete candidatos, falta tempo para aprofundar debate no RS

Tempo curto para as respostas impediu discussões mais detalhadas
por anselmomassad publicado , última modificação 21/09/2010 16h40
Tempo curto para as respostas impediu discussões mais detalhadas

Tarso após debate marcado por superficialidade nas respostas (Foto: Caco Argemi/Divulgação)

Rio de Janeiro - O debate realizado pela Rede Record com os candidatos ao governo do Rio Grande do Sul contou, na segunda-feira (20) com a participação de sete candidatos e durou cerca de uma hora e meia. O resultado foi um debate com poucas chances de aprofundamento das respostas. Participaram Yeda Crusius (PSDB), Tarso Genro (PT), José  Fogaça (PMDB), Pedro Ruas (PSOL), Carlos Schneider (PMN), Aroldo Medina (PRP) e Montserrat Martins (PV).

A governadora Yeda Crusius, que disputa a reeleição, em pergunta sobre segurança pública, defendeu sua gestão, mas ouviu severas críticas de Pedro Ruas. O concorrente do PSOL acusou a gestão tucana de não investir em emprego e educação como fatores para reduzir a violência.

Schneider atacou o aumento de impostos da gestão Germano Rigotto (governador do estado pelo PMDB entre 2003 e 2007). Tarso Genro, que evitou entrar em polêmicas com outros candidatos, defendeu maiores salários para policiais e incentivos fiscais para pequenas empresas.

Em suas considerações finais, todos os candidatos de oposição focaram o discurso na mudança que pretendem representar para o Estado, deixando claro que a continuidade não está  em alta nas eleições gaúchas. Yeda Crusius, por sua vez, afirmou que seu governo tem sido transparente e pediu a confiança da população para o segundo mandato.