Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 09 / Candidatos deixam acusações de lado no debate em MG

Candidatos deixam acusações de lado no debate em MG

Apesar de críticas entre Anastasia (PSDB) e Helio Costa (PMDB), propostas tiveram mais espaço que denúncias
por Thalita Pires, da RBA publicado 21/09/2010 15h50, última modificação 21/09/2010 16h00
Apesar de críticas entre Anastasia (PSDB) e Helio Costa (PMDB), propostas tiveram mais espaço que denúncias

Debate de críticas amenas em Minas (Foto: Pedro Silveira/Aldeia/Divulgação)

Rio de Janeiro - O debate realizado na segunda-feira (20) pela Rede Record entre os candidatos ao governo de Minas Gerais foi marcado pelo tom ameno das discussões. Apesar de as pesquisas mostrarem uma disputa voto a voto entre Antonio Anastasia (PSDB) e Helio Costa (PMBD), os candidatos tentaram ser cautelosos na hora do ataque ao adversário. O debate contou ainda com a participação de Zé Fernando Aparecido (PV) e Luiz Carlos (PSOL).

As primeiras perguntas entre os candidatos trataram de grandes temas do estado. Zé Fernando questionou Anastasia em relação a suas propostas sobre a mineração. Anastasia debateu os benefícios e problemas da Copa do Mundo em Minas com Luiz Carlos. Helio Costa e Zé Fernando criticaram veladamente a construção do novo centro administrativo do governo mineiro, obra realizada por Aécio Neves (PSDB).

O tom só subiu quando o candidato do PSOL acusou um instituto de pesquisa a realizar um levantamento sobre a corrida eleitoral sem colocar seu nome entre os candidatos. Ele acusou a imprensa mineira de sofrer censura por parte da gestão estadual e, portanto, não publicar nada a respeito.

Os dois favoritos ao governo se enfrentaram diretamente no segundo bloco, no qual jornalistas faziam a pergunta a um candidato e outro concorrente comentava a resposta. Ao comentar sobre a saúde no Estado, Helio Costa acusou a gestão Anastasia de não aplicar todos os recursos necessários na saúde e de não aplicar o princípio da descentralização da saúde.

Em seguida, os candidatos questionaram a competência das gestões estadual e federal. No terceiro bloco, Costa criticou o gasto com publicidade do governo Aécio/Anastasia, enquanto Anastasia atacou o projeto federal de transposição do rio São Francisco.