Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 07 / PT dispara contra 'baixaria' de rivais

PT dispara contra 'baixaria' de rivais

Dilma e seu coordenador de campanha voltam a acusar PSDB de rebaixar nível nas críticas; tucanos devolvem acusação, dizendo ter um "esquadrão antiboato" para responder a petistas
por Redação da RBA publicado , última modificação 29/07/2010 18h20
Dilma e seu coordenador de campanha voltam a acusar PSDB de rebaixar nível nas críticas; tucanos devolvem acusação, dizendo ter um "esquadrão antiboato" para responder a petistas

Indio da Costa fez acusações contra petistas na semana passada (Foto: Laycer Tomas/Agência Câmara)

São Paulo - A troca de acusações de fabricação de boatos na campanha à Presidência da República ganhou novo capítulo nesta semana. Depois de Indio da Costa (DEM), vice na chapa de José Serra (PSDB), disparar acusações contra o PT, que motivaram ações judiciais, os aliados de Dilma Rousseff tentam qualificar seus adversários como "raivosos".

A própria candidata do PT, em visita a Natal (RN), na quarta-feira (28), reclamou da "oposição raivosa" sofrida pelo governo Lula. "Eles (partidos de oposição) mentem ao querer passar por aquilo que não são. Foram a oposição mais dura, mais perversa e mais amarga ao governo do presidente Lula”, discursou no Rio Grande do Norte.

O coordenador da campanha petista, Marco Aurélio Garcia, rebateu acusações de Serra de que o Brasil fazia "filantropia" com os países vizinhos da América do Sul. Garcia classificou a visão do candidato do PSDB de "tacanha" e sugeriu que o tucano está perto de um "fim melancólico". Durante coletiva em São Paulo, na segunda-feira (26), após almoço com empresários, Serra afirmou que o Brasil faz filantropia com Bolívia e Paraguai.

Garcia citou ainda a mudança de trajetória de Serra e o que ele considera que será o futuro do tucano. "Fico constrangido de ver uma pessoa que teve um passado de esquerda como o José Serra correr tanto em direção à direita. Daquela direita mais raivosa, mais atrasada e me parece um final melancólico da sua carreira política”, declarou à TVPT, incorporada ao site do PT.

O PT conseguiu direito de resposta no site do PSDB, onde as acusações de Indio foram publicadas inicialmente. A sentença foi suspensa até o fim do recesso do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em agosto, para julgamento pelo colegiado. O partido governista ainda move ação contra a revista Veja, que publicou reportagem nesta semana corroborando as acusações de ligações com as Forças Armadas Revolucionárias de Colômbia (Farc) e o narcotráfico.

A reação dos tucanos veio na linha que vê o ataque como a melhor defesa. Segundo o blog do jornalista Josias de Souza, o comitê de campanha de Serra teria criado um "esquadrão antiboato", formado por repórteres e cinegrafistas. A equipe procura possíveis boatos – supostamente criados por seus adversários – para desmenti-los.

Antes, em maio, os blogues do jornalista Luís Nassif e do deputado Brizola Neto (PDT-RJ) denunciaram a possibilidade de a campanha tucana ter montado uma equipe para espalhar boatos contra a candidata Dilma. Comandados por Eduardo Graeff, a estratégia seria a de promover uma "guerra suja na internet". Agora, em situação inversa, Serra estaria correndo principalmente para negar boatos ligados à privatização de empresas públicas.

O deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP), líder do governo na Câmara, desconfia da equipe antiboataria tucana. “Parece piada. Como falta discurso ao Serra, eles vem agora com essa história de boatos. Isso não existe nem é necessário”, afirmou.  “O que inspira a desconfiança em Serra é o comportamento do candidato. Quando ele diz que vai dobrar os investimentos do Bolsa Família, ninguém acredita...”.

Diante de uma possível acusação ao PT de ter criado uma "central de boatos", Vaccarezza contesta. “Estão querendo insinuar que fazemos atividades subterrâneas. Não precisamos disso”, dispara o parlamentar.