Você está aqui: Página Inicial / Política / 2009 / 07 / Votação de projeto sobre aposentadorias fica para agosto

Votação de projeto sobre aposentadorias fica para agosto

Governo pede que texto que vincula reajuste de benefícios ao salário mínimo fique para depois do recesso dos deputados
por João Peres, da RBA publicado , última modificação 01/07/2009 18h50
Governo pede que texto que vincula reajuste de benefícios ao salário mínimo fique para depois do recesso dos deputados

Ficou para o início de agosto a votação no plenário da Câmara do projeto que estabelece a correção das aposentadorias de acordo com o salário mínimo.

Em reunião com líder do Governo na Casa, Henrique Fontana (PT-RS), as entidades que representam os aposentados aceitaram adiar a votação. A alegação governista é de que é preciso mais tempo para negociar.

Depois do recesso, os deputados devem avaliar o veto do presidente Lula à extensão do reajuste de 16,67% concedido ao salário mínimo em 2006 para todas as aposentadorias e pensões.

As entidades representativas garantem ter o compromisso do presidente da Câmara, Michel Temer, de que até 10 de agosto o Projeto de Lei 001 de 2007 vai a votação, com ou sem acordo. A primeira rodada de negociação acontece na próxima terça-feira (8), em Brasília (DF).

Segundo Warley Martins, presidente da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), que participou do encontro com as lideranças dos partidos, o governo continua a utilizar o argumento de que o reajuste atrelado impede o crescimento ideal do salário mínimo.

Warley Martins informa que o governo propôs a abertura de negociações e um prazo até o dia 10 de agosto para que propostas sejam apresentadas e que os trabalhadores aposentados aceitaram o acordo e vão para o debate.

"A Confederação, a partir da semana que vem, vai começar a negociar com o governo", explica. Eles aceitam um percentual menor do que a correção do salário mínimo, desde que próxima. "Mas se o governo não tiver proposta para nós, voltaremos a colocar em pauta o PL 001, e vamos para o tudo ou nada. Dia 10 de agosto, é tudo ou nada", sustenta.

Com informações do Jornal Brasil Atual