Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2018 / 03 / Putin é reeleito para quarto mandato como presidente da Rússia

sem surpresas

Putin é reeleito para quarto mandato como presidente da Rússia

Com praticamente a totalidade das urnas apuradas, Líder russo alcançou 76,67% dos votos válidos nas eleições. Comparecimento às urnas foi de 67% dos eleitores
por Redação RBA publicado 19/03/2018 09h26
Com praticamente a totalidade das urnas apuradas, Líder russo alcançou 76,67% dos votos válidos nas eleições. Comparecimento às urnas foi de 67% dos eleitores
Dmitry Ikunin/FLICKR
putin.jpg

Putin obteve o apoio de 56,1 milhões de cidadãos, superando em 10,5 milhões os votos recebidos em 2012 (45,6 milhões)

São Paulo – O presidente da Rússia, Vladmir Putin, venceu as eleições presidenciais deste domingo (18) no país. Com 99,81% das urnas apuradas, ele alcançou 76,67% dos votos válidos nas eleições, segundo os últimos dados divulgados hoje (19) pela Comissão Eleitoral Central (CEC).

O segundo candidato mais votado no domingo foi o milionário comunista Pavel Grudinin, que obteve 11,79% dos votos, seguido pelo ultranacionalista Vladimir Zhirinovski, com 5,66%. Nenhum dos outros cinco candidatos aparece com mais de 2%.

O comparecimento às urnas foi de 67% dos eleitores, segundo a Comissão. Após a apuração de praticamente todas as urnas, Putin obteve o apoio de 56,1 milhões de cidadãos, superando em 10,5 milhões os votos recebidos em 2012 (45,6 milhões)

Com a esperada vitória, Putin exercerá até 2024 seu quarto mandato como presidente russo. Ele foi eleito pela primeira vez em 2000 e reeleito em 2004. Em 2008, impedido pela Constituição de exercer dois mandatos consecutivos, tornou-se primeiro-ministro e apoiou a candidatura do então premiê Dmitri Medvedev para o posto. Em 2012, após os mandatos presidenciais terem sido estendidos para seis anos, Putin foi eleito novamente.

Em sua primeira entrevista após proclamar a vitória no pleito, Putin negou que esteja planejando, "por enquanto", reformar a Constituição para seguir no comando do país dentro de seis anos.

* Com informações do Opera Mundi

registrado em: , ,