Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2017 / 06 / Manifestação na Catalunha antecede referendo por independência

Barcelona

Manifestação na Catalunha antecede referendo por independência

"A única resposta possível é votar", afirmou o treinador Pep Guardiola, que se destacou dirigindo o Barcelona, hoje comanda o Manchester City e que participou das mobilizações populares
por Redação RBA publicado 12/06/2017 13h10, última modificação 12/06/2017 13h35
"A única resposta possível é votar", afirmou o treinador Pep Guardiola, que se destacou dirigindo o Barcelona, hoje comanda o Manchester City e que participou das mobilizações populares
CatalunyaRadio‏‎
Guardiola

Guardiola também destacou "perseguição política imprópria de uma democracia na Europa do Século 21"

São Paulo – Milhares de manifestantes e lideranças políticas se reuniram neste domingo (11) em Barcelona para apoiar a convocação do referendo pela independência da Catalunha, anunciado para ocorrer em 1º de outubro, apesar da pressão do governo central espanhol. 

Acompanhado de autoridades políticas da Catalunha e de movimentos independentistas, o técnico do Manchester City e ex-Barcelona, Pep Guardiola, fez a leitura do manifesto em favor da convocação da consulta popular, "ainda que o Estado espanhol não queira", e afirmou que "a única resposta possível é votar".

"Os catalães hoje somos vítimas de um Estado que colocou em marcha uma perseguição política imprópria de uma democracia na Europa do Século 21", afirmou Guardiola. Também estiveram presentes quatro condenados por convocarem consulta de independência, em novembro de 2014.

A consulta pela independência, marcada para outubro, segue proibida pelo Tribunal Constitucional espanhol, e o governo do presidente Mariano Rajoy espera utilizar a proibição para negociar condições com os independentistas.

As dezenas de milhares de pessoas que protestaram nos arredores do Palácio de Montjuïc querem, justamente, que o referendo seja mantido, à revelia das autoridades espanholas, e refutam qualquer negociação. 

Em caso de vitória do "sim", os movimentos pela independência pretendem iniciar a "desconexão" da região de 7,5 milhões de habitantes que fica no nordeste da Espanha, e conserva idioma, cultura, tradição e história próprias.