Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2013 / 04 / Tribunal de Haia diz que demanda boliviana contra Chile é 'impecável'

Tribunal de Haia diz que demanda boliviana contra Chile é 'impecável'

La Paz perdeu acesso ao mar durante a Guerra do Pacífico, no século XIX
por do OperaMundi publicado 30/04/2013 17h55, última modificação 30/04/2013 17h55
La Paz perdeu acesso ao mar durante a Guerra do Pacífico, no século XIX

São Paulo – A Corte Internacional de Justiça, com sede em Haia, aceitou a demanda boliviana contra o Chile por uma saída soberana ao Oceano Pacífico. Segundo La Paz informou hoje (30), o processo apresentado foi considerado “impecável” pela entidade.

O desejo boliviano de recuperar um acesso ao mar existe desde o final do século XIX, quando perdeu essa característica durante guerra contra o Chile. Na Guerra do Pacífico (1879-1883), a Bolívia perdeu 400 quilômetros de costa e 120 mil quilômetros quadrados de superfície. O Peru também foi derrotado por Santiago nessa ocasião.

Em entrevista coletiva, os representantes de Laz Paz explicaram que o Chile também recebeu o aviso da aceitação de Haia e que o “processo se dará pela via diplomática”. “O procedimento é iniciado formalmente a partir desta atuação da Corte Internacional de Justiça”, afirmou o chefe da reivindicação do país, Juan Lanchipa.

Leia também:
  • Especial Bolívia: sem mar há 130 anos – Mais do que uma briga histórica, a saída para mar é uma questão de soberania nacional para os bolivianos que reivindicam seu quinhão de terra até o Pacífico

O chanceler boliviano, David Choquehuanca, destacou que as autoridades de Haia lhes indicaram que o processo apresentado pela Bolívia é "impecável".

O Executivo chileno, por sua vez, alegou que a Bolívia deturpou as conversas "de boa fé" que mantiveram sobre essa reivindicação marítima, na qual, segundo as autoridades desse país, não foi falado em ceder soberania.

A Bolívia apresentou sua demanda em Haia na última quarta-feira (24/04). Durante a Presidência da chilena Michelle Bachelet (2006-2010), foram iniciadas negociações com Evo Morales sobre o assunto. Desde a posse do atual presidente, Sebastián Piñera, porém, o diálogo foi interrompido. No início de março, La Paz chegou a classificar a relação bilateral como em “ponto morto”. 

registrado em: , ,