Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2013 / 04 / Coreia do Norte aconselha estrangeiros a deixar Coreia do Sul

Coreia do Norte aconselha estrangeiros a deixar Coreia do Sul

por Renata Giraldi, da Agência Brasil publicado 09/04/2013 10h51, última modificação 09/04/2013 10h51

Brasília – O governo da Coreia do Norte recomendou hoje (9) que empresas estrangeiras, organizações internacionais e turistas que estejam na Coreia do Sul deixem o país por questão de segurança. A sugestão ocorre no momento em que os norte-coreanos ameaçam deflagrar uma guerra nuclear na Península Coreana. As informações são da BBC Brasil

Em nota, divulgada pela agência de notícia oficial do país, a KCNA, o governo norte-coreano informou que não deseja que estrangeiros sofram quaisquer riscos, caso o país entre em guerra. As ameaças se acentuaram nos últimos dias, provocando também reações por parte dos sul-coreanos, norte-americanos e japoneses que estão em alerta. O clima gerou sanções da comunidade internacional à Coreia do Norte e advertências, mas nem por isso o temor diminuiu.

Na semana passada, autoridades norte-coreanas aconselharam embaixadas estrangeiras a retirar seus funcionários do país, na eventualidade de um conflito. Hoje, trabalhadores norte-coreanos deixaram de ir trabalhar no complexo industrial de Kaesong, mantido com a Coreia do Sul, o que na prática provocou o fechamento do último símbolo de cooperação entre as duas nações vizinhas.

O complexo industrial emprega mais de 50 mil norte-coreanos que trabalham para companhias sul-coreanas. Paralelamente, o Japão implantou interceptadores de mísseis para o centro de Tóquio, como forma de precaução contra um possível ataque norte-coreano.

A Coreia do Norte é um dos países mais fechados do mundo e as informações sobre seu arsenal bélico e nuclear envolvem dados não oficiais, estimativas e avaliações de especialistas. Para alguns especialistas, a Coreia do Norte não tem a capacidade nuclear que diz ter. Porém, eles advertem que a gravidade da situação não pode ser subestimada e que há um risco real, em uma área  militarizada.

 

registrado em: