Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2012 / 10 / Mujica defende 'grande guerra' contra desigualdade e pobreza

Mujica defende 'grande guerra' contra desigualdade e pobreza

por Renata Giraldi, da Agência Brasil publicado , última modificação 08/10/2012 15h53

Brasília –  O presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, disse hoje (8) que a “grande guerra” que o mundo deve travar é o combate à “desigualdade e pobreza”. Ao discursar na 10ª Conferência dos Ministros da Defesa das Américas, que está sendo realizada na cidade uruguaia de Punta del Este, Mujica ressaltou que a “nova era se globaliza em extensão e cultura”, por isso os esforços devem ser redobrados em busca da inclusão social.

Para o presidente uruguaio, é fundamental mudar a forma de se observar a vida baseando-se no consumismo. Segundo Mujica, a civilização mundial tem de avaliar que há um crescimento permanente no planeta que depende de ações atuais e futuras relativas ao meio ambiente.

Porém, Mujica destacou que, apesar de as Américas terem “grandes recursos naturais e humanos”, ainda mantêm uma "tremenda dívida social". Devido a isso, afirmou, “nossa grande guerra é contra a desigualdade e a pobreza". O discurso de Mujica pode ser lido em espanhol na página da Presidência da República do Uruguai na internet.
 
Em julho, quando esteve no Brasil para a cerimônia de adesão da Venezuela ao Mercosul, Mujica defendeu a unidade de esforços em torno de ações que levem à inclusão social. “Estamos em outro momento histórico. É agora ou nunca. O desafio é enorme”, ressaltou ele, na solenidade.

Mujica acrescentou ainda que o objetivo dos líderes políticos latino-americanos deve ser os mais pobres. “A nossa verdadeira causa está nestes anônimos, nesta multidão anônima, com a qual temos uma causa e um dever”, destacou. “Tudo isso compõe a esperança, a angústia e a esperança que temos. Por isso, é necessário somar. Precisamos acrescentar os trabalhadores, aqueles que estão andando de chinelos. Os populares precisam estar incluídos.”