Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2012 / 10 / David Cameron aprova referendo sobre independência da Escócia

David Cameron aprova referendo sobre independência da Escócia

Parlamento escocês possui prerrogativa para organizar consulta popular até o final de 2014
por do OperaMundi publicado 15/10/2012 17h13, última modificação 15/10/2012 17h13
Parlamento escocês possui prerrogativa para organizar consulta popular até o final de 2014

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, e o chefe do governo regional escocês, Alex Salmond, assinaram hoje (15) um acordo que garante a realização de referendo de independência da Escócia até o final de 2014. “O documento abre o caminho para a decisão mais importante dos últimos séculos de nosso país. É, nesse sentido, um dia histórico para a Escócia e um grande passo à frente em direção a Escócia independente”, disse Salmond.

A partir das negociações, o parlamento de Edimburgo recebe poder legal temporário para organizar a consulta popular sobre a sua separação do Reino Unido. “Eu sempre quis mostrar respeito pelo povo da Escócia. Eles votaram em um partido que quer o referendo. E eu fiz este referendo possível”, afirmou Cameron. 

Ambas as partes tiveram que fazer concessões para a finalização do acordo. O Reino Unido aceitou que a idade mínima para votação seja de 16 anos e que a consulta seja realizada em 2014, e não imediatamente. A Escócia, por sua vez, aceitou que o referendo possua uma única pergunta e desistiu de incluir questão sobre o aumento do poder do Parlamento escocês. “O que temos é o que eu sempre quis, que é uma única pergunta e não duas, uma questão muito simples que terá que ser colocada antes do fim de 2014 e então, essa incerteza será encerrada”, disse o premiê britânico. 

O acordo, assinado nesta segunda (15) na sede do governo escocês em Edimburgo, foi baseado em meses de negociações entre as autoridades e liderado pelo vice-premiê da Escócia, Nicola Sturgeon, e o secretário Michael Moore.

O documento garante que a vontade da população escocesa será atendida e respeitada por ambos os governos, que possuem posições distintas acerca da questão. Enquanto que Cameron reiterou sua vontade de que a Escócia permaneça no Reino Unido, Salmond reafirmou seu desejo independentista.

“Eu acredito plenamente que a Escócia será melhor com o  Reino Unido, mas, principalmente, que o Reino Unido será melhor com a Escócia. Nós somos melhores, mais fortes e mais seguros juntos”, disse Cameron. Já Salmond: “Eu acredito que vamos vencer, estabelecendo uma visão positiva de um futuro melhor para o nosso país economicamente e também, fundamentalmente, socialmente”. 

Agora, cabe aos legisladores escoceses estabelecerem as regras do referendo: a data, as palavras da questão, o financiamento da campanha, entre outras. Segundo o acordo assinado, a consulta popular terá que seguir “aos mais altos padrões de justiça, transparência e legalidade, informada por consulta e aconselhamento de peritos independentes”. 

registrado em: , , ,