Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2012 / 09 / Candidatos na Venezuela intensificam agenda de campanha; Chávez lidera pesquisas

Candidatos na Venezuela intensificam agenda de campanha; Chávez lidera pesquisas

Três institutos de pesquisa apontaram vantagem do atual chefe do Executivo na corrida presidencial
por Jonatas Campos, do Opera Mundi publicado , última modificação 26/09/2012 14h04
Três institutos de pesquisa apontaram vantagem do atual chefe do Executivo na corrida presidencial

Caracas – Faltando 11 dias para as eleições presidenciais na Venezuela, os candidatos Hugo Chávez e Henrique Capriles intensificam as atividades de campanha para garantir seus votos e arrebanhar o percentual de indecisos, que oscila entre 3 e 15% da população, de acordo com cada instituto de pesquisa.

Esta terça-feira (25) foi marcada pela divulgação de três pesquisas de intenção de votos (Datanálisis, ICS e Varianzas), todas dando vantagem ao presidente e candidato à reeleição, Hugo Chávez, embora uma delas apresente um suposto empate técnico.

Leia também:
  • Sob a batuta da mudança – Quem imagina no socialismo venezuelano o bicho-papão pintado pela imprensa brasileira se surpreenderá se vir de perto as conquistas do país vizinho na última década

Os números da Datanálisis indicam Chávez com 49,4% dos votos, Capriles 39%, e indecisos 11,6%.  A pesquisa foi realizada há um mês, entre os dias 25 de agosto e 5 de setembro, com 1.600 pessoas e tem uma margem de erro de 2,4%.

Já a ICS (Internacional Consulting Services) aponta Chávez com 55,1% e Capriles com 35,4%, enquanto 9,5% não sabem em que vão votar. A pesquisa foi realizada entre os dias 10 e 17 de setembro com 2.200 entrevistados em 20 estados do país. A margem de erro é de 2%.

Em entrevista à Rádio Notícias24 também nesta terça-feira, o diretor do Instituto Varianzas, Rafael Delgado, afirmou que segundo seus números Chávez hoje tem 49,7% de intenção de voto, enquanto Capriles 47,7%. A margem de indecisos é de 2,6%. O apresentador de um dos programas de televisão de maior audiência da estatal VTV, Miguel Angel, afirmou também na noite desta terça-feira que vai apresentar provas que as sondagens da Varianzas são falsas.

Também ontem Chávez deu uma pausa nos atos de campanha para centrar esforços em dois importantes e simbólicos temas: transporte e segurança. No primeiro, entregou 1.216 ônibus chineses movidos a gás como parte dos investimentos do fundo financeiro Chino-Venezuelano. Trinta desses alimentarão o Sistema Integrado de Transporte (BusCaracas) com o metrô a capital e o restante será distribuído por todo o país.

Em outro evento, o presidente participou do ato de graduação de 8.262 novos oficiais da PNB (Polícia Nacional Bolivariana). "Nunca antes na história venezuelana se deu um ato como esse", disse, usando o bordão conhecido do ex-presidente Lula. Chávez também anunciou que novas vagas já estão abertas na Unes (Universidade Nacional Experimental de Segurança).

Capriles continuou realizando atos de encerramento pelo país. Nesta terça, visitou os Estado de Delta Amacuro e Monagas. Ele prometeu construir seis novas escolas de ensino fundamental em Delta Amacuro nos primeiros 100 dias de governo.

Ponto explorado desde o início da campanha, a violência não ficou de fora do discurso. "Ele [Chávez] fala de independência e ignora que 50 venezuelanos morrem diariamente ", dsse Capriles. O candidato dribla a desvantagem nas pesquisas dizendo que nunca perdeu uma eleição e que, segundo estudos internos, pode "ganhar com mais de um milhão de votos de diferença".