Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2011 / 09 / Estudantes chilenos anunciam novos protestos e greve nacional

Estudantes chilenos anunciam novos protestos e greve nacional

por Redação da RBA publicado , última modificação 16/09/2011 15h15

São Paulo - Uma greve nacional, acompanhada de protestos, está programada para a próxima quinta-feira (22), nas principais cidades do Chile. A decisão foi anunciada na quinta-feira (15) pela Confederação de Estudantes do Chile (Confech), e deve ser acompanhada por outras organizações sociais e sindicatos.

Durante uma assembleia que durou 10 horas, os estudantes chilenos definiram uma nova série de grandes manifestações nas principais cidades do país no dia 29 de setembro. A data coincide com o prazo oferecido pelo governo do presidente Sebastián Piñera para enviar um projeto de orçamento para 2012, com projeções de investimento em cada área.

O ministro de Educação, Felipe Bulnes, sustenta que o governo irá insistir nos projetos de lei para reformar o sistema educacional no país. As mudanças, consideradas insuficientes e em sentido equivocado pelos estudantes, devem ser defendidas pelo Executivo, que descarta reprogramar o ano letivo.

"Queremos demonstrar ante um governo intransigente que nossas demandas são completamente atuais", disse Sebastián Farfán, estudante da Universidade de Valparaíso. À agência Ansa, ele afirmou que o objetivo dos novos protestos será o "caráter histórico" do movimento e, por isso, a pressão sobre o governo irá continuar.

Desde maio deste ano, estudantes e professores, especialmente universitários, promovem manifestações por mudanças profundas no sistema de ensino, tornando-o gratuito e de qualidade no país. Isso envolve cumprir a determinação legal de barrar empresas com fins lucrativos de oferecer cursos universitários, além de redefinir a política de subsídios para essas companhias.