Você está aqui: Página Inicial / Mundo / 2009 / 12 / Morales pede para partidários manterem luta contra imperialismo

Morales pede para partidários manterem luta contra imperialismo

por ANSA publicado , última modificação 04/12/2009 16h54

O presidente da Bolívia, Evo Morales, convocou seus partidários a "seguir lutando, sem nenhum medo", contra o imperialismo, para garantir o "respeito ao povo boliviano" e a consolidação do processo de mudança social. 

"Aqui não há lugar para o imperialismo nem para o capitalismo", disse o mandatário, ao encerrar sua campanha às eleições gerais do país, agendadas para o próximo domingo e nas quais tenta o segundo mandato pelo partido Movimento ao Socialismo (MAS). 

O ato que marcou o fim da campanha de Morales ocorreu na quinta-feira (3) na cidade de El Alto, um de seus redutos políticos desde as mobilizações sociais que pediram a renúncia do presidente Gonzalo Sánchez de Lozada (2002-2003). 

Morales ressaltou que as mudanças políticas iniciadas em 2003, de cunho altamente popular, "começaram graças à luta dos movimentos sociais, não só de Evo, nem de um partido, mas sim, do povo". 

"Este processo de mudança nunca fracassará. É um processo de mudança invencível que está em um caminho sem volta", enfatizou o mandatário, pedindo para "todos, profissionais e classe média, se juntarem" a esta ideologia. 

O evento contou com a participação do vice-presidente Álvaro García Linera, que compõe a chapa de Morales, além de ministros e candidatos a deputado e senador pelo MAS. 

Em meio a apresentações musicais, o mandatário boliviano pediu votos a si próprio, "para servir por mais cinco anos ao povo", e aos postulantes à cadeira no Congresso, a fim de que a Casa tenha número suficiente de partidários para garantir a aprovação de seus projetos. 

Morales prometeu um ambicioso programa de obras viárias, serviços básicos, geração de energia e industrialização de recursos, além de triplicar o valor da aposentadoria dos professores, dar um computador para cada docente e garantir a aposentadoria de caminhoneiros e pequenos comerciantes. 

"Queremos que nosso país dê um salto industrial" e alcance "um grande estado de proteção social", destacou Linera. 

Segundo as últimas pesquisas, Morales vencerá o pleito de domingo com no mínimo 53% dos votos, podendo chegar a até 60% de aprovação. Seu principal adversário, Manfred Reyes Villa, do Plano Progresso para a Bolívia (PPB), deve obter entre 21% e 26% do apoio do eleitorado.

registrado em: , ,