Você está aqui: Página Inicial / Internacional / 2009 / 05 / Ataque no Paquistão deixa 22 mortos e 285 feridos

Ataque no Paquistão deixa 22 mortos e 285 feridos

Explosão na cidade de Lahore derrubou um serviço de ambulatório do governo e atingiu um prédio da agência de inteligência militar
por Mubasher Bukhari publicado 27/05/2009 10h05, última modificação 27/05/2009 10h15 © 2009 Thomson Reuters. All rights reserved. Reuters content is the intellectual property of Thomson Reuters or its third party content providers. Any copying, republication or redistribution of Reuters content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Thomson Reuters. Thomson Reuters shall not be liable for any errors or delays in content, or for any actions taken in reliance thereon. "Reuters" and the Reuters Logo are trademarks of Thomson Reuters and its affiliated companies. For additional information on other Reuters media services please visit http://about.reuters.com/media/.
Explosão na cidade de Lahore derrubou um serviço de ambulatório do governo e atingiu um prédio da agência de inteligência militar

Soldados armados no Paquistão no local onde houve um ataque de bombas em Lahore (Foto: Reuters/Mohsin Raza)

Lahore, Paquistão (Reuters) - Homens armados atacaram um quartel policial na cidade de Lahore, no Paquistão, nesta quarta-feira (27), e explodiram um carro-bomba que matou 22 pessoas e deixou quase 300 feridos. Autoridades afirmaram que o ataque foi uma resposta a ofensivas militares contra o Taliban.

Não houve anúncio de autoria do ataque, que causou grandes danos ao local. A explosão aconteceu após alertas feitos pelos militantes em resposta aos ataques militares na região de Swat, no nordeste, um dos redutos do Taliban.

O ataque também acontece após o general David Petraeus, chefe do Comando Central dos EUA, ter visitado Islamabad nessa terça-feira (26) para reuniões com líderes militares e do governo.

Os Estados Unidos precisam da ajuda do Paquistão contra os militantes para tentar derrotar a Al Qaeda e o Taliban no Afeganistão. Os norte-americanos saudaram a ofensiva em Swat.

"Acredito que elementos anti-Paquistão, que querem desestabilizar nosso país e ver a derrota em Swat, agora vieram para nossas cidades", disse o chefe do Ministério do Interior, Rehman Malik.

A ofensiva em Swat e a insegurança geral causaram preocupação nos investidores do mercado de ações, mas o principal índice subia 0,05% à 6h de Brasília.

A explosão, que segundo as autoridades foi um ataque suicida, derrubou um serviço de ambulatório do governo e atingiu um prédio da agência de inteligência militar.
A prefeitura informou que 22 pessoas morreram e 285 ficaram feridas. Equipes de resgate procuravam vítimas nos escombros e os números podem subir, disse uma autoridade municipal.

Pouco antes da explosão, homens armados saíram de um carro e abriram fogo contra policiais no portão, disse a repórteres o ministro provincial Rana Sanaullah, acrescentando que vários suspeitos foram presos.

(Reportagem adicional de Kamran Haider e Augustine Anthony em Islamabad)


--------------------------------------------------------------------------------

registrado em: