Você está aqui: Página Inicial / Esportes / 2018 / 05 / Klopp x Zidane e Salah x Ronaldo: duelos da final entre Liverpool e Real Madrid

Liga dos Campeões

Klopp x Zidane e Salah x Ronaldo: duelos da final entre Liverpool e Real Madrid

Decisão da Liga dos Campeão opõe a solidez defensiva e a posse de bola do time espanhol contra o futebol rápido e preciso dos ingleses
por Redação RBA publicado 26/05/2018 08h59, última modificação 26/05/2018 11h02
Decisão da Liga dos Campeão opõe a solidez defensiva e a posse de bola do time espanhol contra o futebol rápido e preciso dos ingleses
Pixabay
Liga dos campeões

Dentro das quatro linhas e também no banco, duelos da Champions League neste sábado são embates históricos

São Paulo – A final da Liga dos Campeões da Europa, a Champions League, que será realizada na tarde deste sábado, às 15h45, não só vai opor dois clubes com histórias riquíssimas no futebol. Em campo também entram dois estilos distintos de jogar e alguns jogadores que já deixaram sua marca na galeria dos imortais da bola e outros que pretendem estar no mesmo lugar em breve.

O técnico da equipe britânica pentacampeã da competição, o alemão Jürgen Klopp, é um dos personagens mais peculiares do futebol atual. Após ganhar notoriedade ao conduzir o Borussia Dortmund a uma inédita final da Liga dos Campeões em 2012-2013  eliminando justamente o Real Madrid nas semifinais, com direito a uma goleada por 4 a 1 na partida de ida , o comandante germânico chegou a Liverpool com a missão de recuperar uma equipe que há alguns anos havia assumido o papel de coadjuvante. Segundo ele mesmo, pretendia converter os "incrédulos em crentes". E conseguiu.

No mesmo ano em que chegou, 2015, levou o time britânico à final da Liga Europa, sendo derrotado pelo Sevilla. Agora, traz seus comandados à decisão da principal competição do continente após o vice-campeonato de 2006-2007. E por aqui angariou simpatizantes recentemente ao se definir como "socialista cristão" e dizer que jamais votaria na direita.

Do lado do Real Madrid, o maior campeão da Champions League com 12 títulos, três deles conquistados nos últimos quatro anos, Zinedine Zidane. O francês que fez história como jogador da equipe madrilenha, campeão da Liga dos Campeões em 2001-2002, quer igualar Bob Paisley (Liverpool) e Carlo Ancelotti (Milan e Real Madrid), de quem foi auxiliar-técnico, ao vencer o principal torneio do Velho Mundo três vezes.

Assumiu o comando da equipe na qual foi ídolo nos gramados em janeiro de 2016, após a demissão de Rafa Benítez. De lá pra cá, entrou para a história ao se tornar o único a ganhar a Liga dos Campeões da UEFA como jogador, auxiliar técnico e treinador. Um raro exemplo de figura quase inquestionável em campo e no banco.

Cristiano Ronaldo, Mohamed Salah e uma constelação de craques

Dentro das quatro linhas, as atenções devem se voltar a dois dos maiores jogadores do mundo. Um deles é o português Cristiano Ronaldo. Aos 33 anos, já considerado um dos maiores da história com jogadas, gols e números impressionantes. A começar pela sua marca na própria Liga dos Campeões, torneio em que é o maior artilheiro. São 120 gols ao todo, 20 a mais que o segundo colocado neste ranking, Lionel Messi. Na atual edição, foi às redes 15 vezes.

"Temos que respeitar o Liverpool porque chegou até aqui com méritos. Lembra o Real Madrid de alguns anos atrás, com goleadores muito rápidos à frente, mas acredito que somos melhores, ainda que tenhamos que respeitar o adversário, claro", disse o craque português sobre a final de hoje.

Do outro lado, um astro em ascensão. O egípcio Mohamed Salah, 25 anos, é o principal destaque do Liverpool e passou de jogador secundário no Chelsea a ídolo em Anfield, após ser contratado junto à Roma por 35 milhões de euros. Conseguiu ainda a façanha de liderar a seleção do seu país de volta a uma Copa do Mundo após 28 anos de ausência.

No esquema de jogo de Klopp, Salah conta ainda com companheiros a seu lado que não são apenas figurantes. O Liverpool marcou 40 gols na Liga, uma excelente média de 3,33 por jogo. Dez deles foram do egípcio, outros dez do brasileiro Roberto Firmino e nove do senegalês Sadio Mané.

Essa é a fórmula do time inglês para bater o Real hoje: recuperar a bola em seu campo e fazê-la chegar de forma rápida, pelos corredores laterais, até seus rápidos atacantes que atuam pelas beiradas do campo. No entanto, do outro lado estarão grandes defensores como Sérgio Ramos, o brasileiro Marcelo e o goleiro Keylor Navas. Um embate que promete.