Você está aqui: Página Inicial / Esportes / 2016 / 08 / Dia de medalhas, bons resultados e desafios para o Time Brasil

Rio 2016

Dia de medalhas, bons resultados e desafios para o Time Brasil

Prata de Arthur Zanetti nas argolas e bronze de Poliana Okimoto na maratona aquática dividem a atenção com jogo decisivo da seleção masculina de vôlei que precisa vencer para avançar
por Redação RBA publicado 15/08/2016 18h55
Prata de Arthur Zanetti nas argolas e bronze de Poliana Okimoto na maratona aquática dividem a atenção com jogo decisivo da seleção masculina de vôlei que precisa vencer para avançar
ministério do esporte
medalhas.jpg

Poliana Okimoto e Arthur Zanetti foram os medalhistas do dia nos Jogos Olímpicos

São Paulo – O maior ginasta da história do país, ouro em Londres 2012, Arthur Zanetti conquistou hoje (15) a medalha de prata na competição das argolas. O paulista de São Caetano do Sul, na região do ABCD, só ficou atrás do grego Eleftherios Petrounias, que cravou a melhor nota de sua carreira, 16,000, com uma apresentação perfeita.

Ainda na ginástica olímpica, Flávia Saraiva, de 16 anos, conseguiu boa apresentação na final da trave e se consagrou a quinta melhor atleta do mundo no aparelho. A brasileira de 1,33 metro de altura vem encantando o público e outros ginastas por seu jeito descontraído e sorriso constante. Ela é promessa no esporte. Apenas neste ano, Flávia conquistou cinco medalhas em etapas diferentes da Copa do Mundo.

Nesta manhã, outra brasileira, Poliana Okimoto, conseguiu feito histórico para o país: a primeira medalha olímpica feminina em esportes aquáticos. O bronze conquistado no agitado mar de Copacabana, na maratona aquática, foi a coroação da atleta que, em Londres, precisou abandonar a prova pois apresentou quadro de hipotermia. Poliana terminou a prova na quarta posição, entretanto, a francesa que conseguiu a terceira posição foi desclassificada por ter atrapalhado outra nadadora durante o evento.

Na quadra da Arena Carioca 1, o time brasileiro de basquete jogou bem e venceu a Nigéria por 86 a 69. Apesar do resultado positivo, e de servir para reaproximar a torcida da seleção, o caminho na competição ainda é incerto. Após duras derrotas, três em cinco partidas, o time de Nenê e Leandrinho esperam resultado de partida que será disputada hoje, às 19h, entre Argentina e Espanha, torcendo por uma vitória dos rivais sul-americanos. Mesmo com o resultado desejado, o Brasil enfrentará a seleção dos Estados Unidos na próxima fase, em jogo eliminatório.

Ainda nas quadras, mas no Maracanãzinho, o vôlei masculino enfrenta hoje, às 22h35 uma partida decisiva. O time comandado pelo técnico Bernardinho vem apresentando fraca atuação no torneio. Nas duas primeiras partidas, a equipe, que não conta com muitos nomes experientes, venceu México e Canadá.

Inovafoto/ CBV bernardinho.jpg
Bernardinho precisa de uma vitória contra a França para seguir na competição

As seleções iniciais, mais fracas, ainda conseguiram vencer os primeiros sets contra o Brasil. Os dois jogos que sucederam os resultados positivos foram desastrosos. Uma derrota para um time norte-americano aplicado e outra para a Itália, com erros e nervosismo por parte dos brasileiros. Agora, enfrentam a França para poder avançar à fase eliminatória, em busca do pódio olímpico.

Nas areias de Copacabana, a dupla brasileira de vôlei de praia Alisson e Bruno superaram os norte-americanos Lucena e Dalhuasser, campeão olímpico em Pequim 2008, por 2 sets a 1. Após dois sets equilibrados, um para cada lado, os brasileiros mostraram um rendimento acima da média no tie-brake e venceram com facilidade, avançando para a semifinal do torneio.

Além da forte dupla norte-americana, os brasileiros enfrentaram fortes ventos que sacudiram o Rio de Janeiro nesta tarde. O fenômeno climático também acabou causando um acidente no Parque Olímpico, próximo à Arena Carioca 1. Uma câmera suspensa caiu e deixou sete pessoas feridas: cinco pelos cabos e duas pelo próprio equipamento. Após o susto, foi verificado que nenhuma das lesões foi grave.