Você está aqui: Página Inicial / Cultura / 2017 / 05 / Secretário de Doria ameaça 'quebrar a cara' de ativista cultural da zona leste

intolerante

Secretário de Doria ameaça 'quebrar a cara' de ativista cultural da zona leste

André Sturm, titular da Cultura, perdeu o controle, ofendeu e ameaçou jovem ao ser questionado sobre fim de gestão compartilhada de espaço, definida na gestão Haddad
por Rodrigo Gomes, da RBA publicado 30/05/2017 09h48, última modificação 30/05/2017 14h06
André Sturm, titular da Cultura, perdeu o controle, ofendeu e ameaçou jovem ao ser questionado sobre fim de gestão compartilhada de espaço, definida na gestão Haddad
Ricardo Bastos/Fotoarena/Folhapress
sturm

Além de ameaçar com agressão, Sturm afirmou que local será fechado e todos serão expulsos

São Paulo - André Sturm, secretário de Cultura do prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), ameaçou "quebrar a cara" do ativista cultural Gustavo Soares, 24 anos, membro do Movimento Cultural Ermelino Matarazzo, em reunião realizada na tarde de ontem, na Casa de Cultura do bairro da zona leste. O grupo pleiteava a renovação da gestão compartilhada do espaço, originado de uma ocupação realizada pelo próprio movimento, estabelecida no ano passado, ainda na gestão de Fernando Haddad (PT).

Em áudio divulgado pelo movimento, é possível ouvir que o jovem argumenta que seria inviável para o grupo renovar a parceria sem apoio financeiro por parte da secretaria. Na gestão Haddad foi realizado repasse de R$ 100 mil para um período de seis meses, que seria considerado um projeto piloto de gestão compartilhada do espaço.

"Nós prestamos contas, corremos atrás de outros apoios, tocamos dezenas de atividades, apesar do recurso ser pequeno. Mas não podemos aceitar a responsabilidade de gerir o espaço, prestar contas e trabalhar voluntariamente", explicou Soares à RBA. Segundo ele, o local em que hoje está a Casa de Cultura de Ermelino Matarazzo era um imóvel da prefeitura regional que estava sem utilização a cerca de 10 anos. E foi ocupado por grupos culturais da região. O coletivo apresentou a prestação de contas do período que geriu a casa à secretaria

Depois de ser confrontado com a posição do ativista, Sturm eleva o tom de voz e afirma que "o espaço é público, é do governo" e que se o grupo não aceitar a proposta será retirado do local. Soares argumenta que não é porque a casa é pública que pertence ao secretário ou ao governo Doria. "Providencia com a prefeitura regional o fechamento do espaço de Ermelino Matarazzo. Boa sorte pra vocês. Vocês querem fazer esse discursinho babaca. Você é um chato, rapaz", diz Sturm.

O ativista reage e diz que o secretário de Doria é "desequilibrado". Sturm, então, ameaça o ativista: "Se você falar assim eu vou quebrar sua cara. Isso mesmo: vou quebrar sua cara", se altera. Em seguida, emenda que vai mandar lacrar o prédio. "Acabou a molecagem", completa.

Leia também: Cultura periférica é vetor econômico e alternativa para manter jovens negros vivos'

Antes de deixar o local, ao ser avisado pelo jovem que será feito um boletim de ocorrência, Sturm acusa o grupo de invasor e que eles serão "devidamente expulsos". "O prefeito foi eleito, você não foi", conclui.

Não é a primeira vez que Sturm se envolve em denúncias. Membros da comissão julgadora do Programa de Valorização de Iniciativas Culturais (Vai) o acusaram de interferir no resultado do edital. A mesma situação se deu na seleção de apoiadores para o carnaval de rua da capital paulista. Ele também revogou e alterou o edital de Fomento à Dança, que já tinha os projetos pré-selecionados. O secretário também é responsável pelo congelamento de 47% da verba municipal da cultura para 2017.

Em nota, Sturm admitiu que se exaltou. "Por esta atitude peço desculpas ao rapaz e a todos os munícipes. Recebemos ontem representantes do Coletivo de Ermelino Matarazzo para oferecer uma parceria que visava a manutenção do grupo no espaço, com autonomia e segurança. Ao contrário do que imaginávamos, o coletivo não buscava formalizar a parceria. A intenção era apenas obter recursos públicos, sem prestação de contas.  Nossa proposta sempre foi a de reconhecer a ação cultural que estava sendo feita, mas com responsabilidade, por se tratar de uma Casa de Cultura", escreveu o secretário.

"Lamento  minha atitude e reforço o compromisso de permanecer aberto ao diálogo com todos os segmentos artísticos e agentes culturais da cidade, como tenho feito desde o primeiro dia da gestão, na construção de políticas e ações que buscam valorizar a cultura em todas as formas de expressão", completou Sturm.

Ouça o áudio em que o secretário de Doria ameaça agredir o ativista cultural: