Você está aqui: Página Inicial / Cultura / 2015 / 10 / São Luiz do Paraitinga comemora Dia do Saci com shows durante três dias

Folclore

São Luiz do Paraitinga comemora Dia do Saci com shows durante três dias

Programação conta com música, contação de histórias, brincadeiras, oficinas, lançamento de DVD, seminário, entre outras atividades que serão realizadas a partir da noite de hoje (30)
por Xandra Stefanel, especial para RBA publicado 30/10/2015 09h30, última modificação 30/10/2015 13h55
Programação conta com música, contação de histórias, brincadeiras, oficinas, lançamento de DVD, seminário, entre outras atividades que serão realizadas a partir da noite de hoje (30)
© havelar / sibruxarian.blogspot
saci.jpg

Nada de dia das bruxas ou Halloween. No Brasil, 31 de outubro é dia de celebrar o Saci e seus muitos amigos da mitologia brasileira – a Iara, o Curupira, o Caipora, o Boitatá, Mapinguari, a Mula sem Cabeça, o Lobisomem e a Cuca. A data foi criada inicialmente em São Luiz do Paraitinga, uma charmosa cidade no Vale do Paraíba (SP), onde, em 2003, nasceu a Sociedade de Amigos do Saci (Sosaci), que a cada ano organiza uma festança para homenagear um dos maiores mitos do país.

A edição de 2015 da festa começa na noite desta sexta-feira (30) e segue até domingo (1º), com shows, contação de histórias, brincadeiras, oficinas, lançamento de DVD, passeio ciclístico, “saciata” e seminário. Às 20h30, a Banda Marcial Ignácio Gioia abre a programação no Largo das Mercês, seguida do Trio Inhengatú de música regional.

No sábado, dia 31, as atividades começam às 10h com um seminário sobre cultura caipira, no Centro Turístico e Cultural Nelsinho Rodrigues. Das 13h às 15h serão realizadas no Largo das Mercês oficinas de cabeças e máscaras, de bonecos de argila e de origamis. A partir das 15h, Geraldo Tartaruga, Ditão Virgílio e Tania Lotto reúnem as crianças para contar muitas histórias. Às 18h30, o Grupo Tempo de Brincar encena a peça musical Coisas de Saci e, na sequência, às 19h30, eles lançam o DVD Varal de Memórias. Às 20h30, no Camping do Saci, começa a concentração para a saciata Bloco do Saci que deve ir até o Largo das Mercês. A programação de sábado será encerrada na Praça Dr. Oswaldo Cruz, com o show musical A Confusão, de Los Cunhados, uma banda de jovens que mistura música internacional com a sonoridade luizense.

Reprodução/Ilustração: Ohi Cartaz
'Não é à toa que a cada ano mais brasileiros comemoram o Dia do Saci e seus amigos', afirma Mouzar Benedito

No domingo, às 9h, haverá um passeio “saciclístico” de 20 quilômetros. com concentração na Praça Dr. Oswaldo Cruz; às 10h animadores apresentam músicas e fazem brincadeiras; e às 14h será oferecido o Bolo do Saci. Já às 14h30 será realizado um show das Sianinhas; às 16h é a vez do Raiz 40, com samba de raiz; e, às 20h30, o cantor pernambucano Siba apresenta seu álbum De Baile Solto. A festa acaba com o show do Trio Encantado. Todas as atividades são gratuitas e de participação livre.

Assim como a Sosaci, a festa foi criada em 2003 com o objetivo de valorizar e difundir a tradição oral, a cultura popular e infantil, os mitos e as lendas brasileiras. Um dos criadores da organização e da comemoração, o cronista Mouzar Benedito, escreveu, na Revista do Brasil, sobre a importância de celebrar o menino peralta e perneta: “Escolhemos o Saci como símbolo do dia 31 porque ele é o nosso mito mais conhecido em todo o Brasil, não há lugar onde não o reconheçam. Além disso, é o mais simbólico: no início era um índio, depois foi adotado pelos negros e virou negro também e, por fim, ganhou o gorrinho mágico dos europeus. É a síntese do brasileiro. E mais ainda porque é perneta, de uma cor vítima de preconceitos e tão pobre que vive pelado (o calçãozinho é por moralismo da TV), mas é alegre e gozador. Brasileiro paca! Não é à toa que a cada ano mais e mais brasileiros de mais e mais lugares comemoram em 31 de outubro o 'Dia do Saci e seus amigos' com música, bailados, brincadeiras infantis, filmes, exposições e tudo o mais que a imaginação permite, sempre com muita alegria”, afirma o Mouzar na crônica que você pode ler na íntegra aqui.