Você está aqui: Página Inicial / Educação / 2018 / 05 / Escolas e universidades sem aulas nesta segunda devido à greve dos caminhoneiros

Impactos

Escolas e universidades sem aulas nesta segunda devido à greve dos caminhoneiros

Pais, alunos e professores enfrentam dificuldades nas unidades de ensino, que suspenderam aulas ou devem desconsiderar eventuais faltas
por Redação RBA publicado 28/05/2018 10h32, última modificação 28/05/2018 12h09
Pais, alunos e professores enfrentam dificuldades nas unidades de ensino, que suspenderam aulas ou devem desconsiderar eventuais faltas
CC
Sem aula

Escolas e universidades estão com as atividades paralisadas nesta segunda (28)

São Paulo – Devido à greve dos caminhoneiros contra a alta do preço do diesel, escolas e universidades por todo o país anunciaram a suspensão das aulas nesta segunda-feira (28). No Rio de Janeiro, as aulas foram suspensas na rede municipal de ensino, enquanto a rede estadual anunciou que deve funcionar normalmente. Segundo o prefeito Marcelo Crivella (PR), a suspensão se dá pela dificuldade de pais e professores chegarem às escolas, e também apontaram problemas para garantir o fornecimento de merenda aos alunos.

Em São Paulo, a secretaria anunciou aulas normais, mas com adaptações na merenda oferecida aos alunos. Já na rede estadual, a orientação é desconsiderar eventuais faltas de professores e alunos. 

Em Pernambuco, as escolas municipais de Jaboatão dos Guararapes e Olinda também anunciaram a suspensão das aulas. Ao menos 13 colégios da rede particular do Recife também não funcionarão nesta segunda-feira (28).

No Distrito Federal, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) também suspendeu as aulas da rede pública. 

Universidades

A Universidade de São Paulo (USP) divulgou nota neste domingo (27) cancelando as aulas até pelo menos quarta-feira para a graduação. A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) também não terá aulas nesta segunda (28). A reitoria também afirmou "condições limitadas" no Hospital de Clínicas, e orienta a população a procurar outras unidades de saúde. 

As universidades federais de Minas Gerais (UFMG), de Santa Catarina (UFSC), do Rio de Janeiro (UFRJ e UFF), Rio Grande do Sul (UFRGS), Pernambuco (UFPE), de Brasília (UNB), da Bahia (UFBA), do Mato Grosso (UFMT), Paraná (UFPR), do Sergipe (UFS) e Rio Grande do Norte (UFRN) e do Tocantins (UFT) também cancelaram atividades.