Você está aqui: Página Inicial / Educação / 2018 / 05 / Dedicada à liberdade de Lula, conferência de educação tem início em BH

Conape 2018

Dedicada à liberdade de Lula, conferência de educação tem início em BH

Com mais de 4 mil delegados e observadores, evento reúne pais, alunos e educadores para discutir o restabelecimento da democracia e resistir ao golpe e ao desmonte do ensino público
por Cida de Oliveira, da RBA publicado 24/05/2018 19h18, última modificação 24/05/2018 19h29
Com mais de 4 mil delegados e observadores, evento reúne pais, alunos e educadores para discutir o restabelecimento da democracia e resistir ao golpe e ao desmonte do ensino público
Facebook/Conape 2018
lula livre bh.jpg

São Paulo – Belo Horizonte sedia de hoje (24) até sábado a Conferência Nacional Popular de EducaçãoConape 2018. Entre os objetivos do encontro realizado pelo Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), que congrega 33 entidades de trabalhadores de diversos setores, está a mobilização da sociedade brasileira para o restabelecimento da democracia no país em toda a sua extensão – e pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A resistência contra o desmonte do ensino público, por meio da aglutinação de todo o campo educacional e os movimentos em defesa de uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade social também faz parte da pauta. E, ainda, fazer valer a implementação dos planos nacional, estaduais, distrital e municipais de educação

De acordo com a organização, participam 3.673 delegados vindos de todas as regiões, além de 657 observadores. Foram aprovados 123 trabalhos acadêmicos, que envolveram 150 pesquisadores. O espaço de exposição contará com editoras, feiras de livros e de serviços da economia solidária.

Para chegar à etapa nacional, foram realizadas conferências preparatórias e livres em praticamente todo o país, todas com recursos próprios das entidades e movimentos que compõem o FNPE. Cada uma delas foi espaço para o debate para a construção da Política Nacional de Educação no contexto da Conape, que culminou com propostas para um documento base para o plano de lutas da etapa nacional.

Ao todo, foram mais de 160 conferências regionais, 800 no âmbito municipal e 70 conferências livres realizadas por setores do ensino superior, estudantes e trabalhadores em educação. Houve ainda reuniões e debates para o planejamento.

"A realização da Conape 2018 é símbolo da resistência ao golpe, que teve entre seus ataques à educação a desconfiguração do Fórum Nacional de Educação, que levou à saída coletiva de grande parte dos integrantes que vieram a formar o Fórum Nacional Popular de Educação, o FNPE", explica um dos coordenadores da conferência, o secretário de Cultura da CUT, Tino Lourenço. "Ter chegado aqui já é uma grande realização. Mostramos ao governo que, ao contrário do que se pensava, conseguimos reunir forças populares para um grande encontro."

Com três dias de atividades, a conferência termina com plenária popular no sábado (26), com elaboração de uma carta que sintetizará as proposições de luta que ganham centralidade no país, eixos da ação das entidades para o próximo período.