Você está aqui: Página Inicial / Educação / 2015 / 09 / Dilma defende ensino técnico e “cada centavo” investido no Pronatec

educação premiada

Dilma defende ensino técnico e “cada centavo” investido no Pronatec

A presidenta defendeu os investimentos no programa de ensino, durante cerimônia em que recebeu brasileiros premiados na 43ª WorldSkills
por Luana Lourenço, da Agência Brasil publicado 02/09/2015 15h35
A presidenta defendeu os investimentos no programa de ensino, durante cerimônia em que recebeu brasileiros premiados na 43ª WorldSkills
Marcelo Camargo/Agência Brasil
pronatec

Presidenta recebeu brasileiros que participaram da olimpíada internacional de profissões técnicas

Brasília – Ao receber hoje (2) competidores brasileiros premiados na 43ª WorldSkills, a presidenta Dilma Rousseff defendeu o ensino técnico profissionalizante e disse que “cada centavo” investido pelo governo no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) vale a pena.

O Brasil ficou em primeiro lugar na competição, conhecida como a olimpíada internacional das profissões técnicas. No total, a equipe brasileira levou 27 medalhas: 11 de ouro, dez de prata e seis de bronze, além de 18 certificados de excelência.

“Cada centavo que o governo federal investiu no Pronatec vale a pena e dá um imenso retorno ao nosso país, para todos os brasileiros, e sobretudo nos orgulha, porque vemos que o que estamos fazendo é construindo o futuro do Brasil”, disse a presidenta durante a cerimônia no Palácio do Planalto.

Dos 31 brasileiros que receberam medalhas (algumas modalidades são em equipe), 25 são ou foram estudantes do Pronatec. O programa foi criado pelo governo em 2011.

Segundo Dilma, o ensino técnico “é uma das alavancas do crescimento futuro” e nenhum país rico se desenvolveu sem investir na educação profissional. “Um país como o nosso não pode achar que o mais importante é a educação universitária para os jovens, ela é importante, ela é fundamental, mas esse caminho tem várias trilhas, várias passagens. E nenhum país do mundo se transformou numa grande economia sem a educação técnica profissionalizante.”

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o número de matrículas nos cursos técnicos de nível médio subiu de 928 mil em 2008 para 1,7 milhão em 2014, elevando de 6,1% para 8,4% o percentual de estudantes que fazem cursos técnicos simultaneamente à educação básica. Na Áustria, esse percentual chega a 76,8%, e na Alemanha, a 51,5% dos estudantes.

A competição

Considerada a maior competição de educação profissional do mundo, a WorldSkills ocorre a cada dois anos. A edição de São Paulo, realizada em agosto, foi a primeira na América Latina e teve mais de 1,2 mil participantes, de 62 países, competindo em 50 categorias.

Nas provas, os competidores simularam tarefas cotidianas das profissões técnicas na indústria e no setor de serviços, em áreas como mecatrônica, desenho mecânico, marcenaria, soldagem, eletricidade industrial, web design, confeitaria, tecnologia automotiva, jardinagem e paisagismo e tecnologia de moda.

registrado em: , , ,