Você está aqui: Página Inicial / Educação / 2011 / 07 / Governo anuncia 100 mil bolsas de estudos para intercâmbio no exterior

Governo anuncia 100 mil bolsas de estudos para intercâmbio no exterior

Durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Dilma e Mercadante apresentaram novo programa para "formar a base de pensamento educacional do país"
por Virginia Toledo, Rede Brasil Atual publicado , última modificação 26/07/2011 15:51
Comments
Durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Dilma e Mercadante apresentaram novo programa para "formar a base de pensamento educacional do país"

Mercadante anunciou programa durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômicos e Social (Foto: Antonio Cruz/Abr)

São Paulo – Cem mil estudantes terão oportunidade de fazer intercâmbio em faculdades do exterior custeados pelo programa "Ciência Sem Fronteira", divulgado nesta terça-feira (26) pela presidenta Dilma Rousseff e pelo ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

O programa vai custear bolsas de estudos nas principais universidades fora do Brasil, desde a graduação ao pós-doutorado, e priorizará cursos nas ciências exatas, como Engenharia e áreas tecnológicas. Segundo Mercadante, o objetivo principal é atrair jovens talentos e pesquisadores altamente qualificados para trabalhar no país.

Para a presidenta, a prioridade em selecionar estudandes de ciências exatas não significa que a área de humanidades tenha sua importância diminuída. Segundo ela, o Brasil precisa se reequilibrar para atender ao mercado, que carece de profissionais de ciências exatas.

Os estudantes contemplados vão ser escolhidos a partir do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), além dos que atingirem nota superior a 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Poderão ser computados ainda outros requisitos, como prêmios em olimpíadas de matemática.

"A ideia do programa é criar ações orientadas pelo mérito, garantindo que o país possa continuar, aqui dentro, gerando reconhecimento e avanço tecnológico", afirmou Dilma, pontuando que os critérios não excluirão as camadas mais humildes da população. "Nós vamos formar a base de pensamento educacional do país", ressaltou.

 

comentários do blog alimentados pelo Disqus