Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2017 / 07 / Com queda de alimentos, luz e combustíveis, junho tem deflação

IPCA e INPC

Com queda de alimentos, luz e combustíveis, junho tem deflação

Foi o primeiro resultado negativo para o IPCA desde 2006, segundo o IBGE. Taxa em 12 meses cai para 3%
por Redação RBA publicado 07/07/2017 09h51, última modificação 07/07/2017 09h53
Foi o primeiro resultado negativo para o IPCA desde 2006, segundo o IBGE. Taxa em 12 meses cai para 3%
Marcelo Camargo/ABR
Inflação

Queda na renda e no emprego esfria demanda e causa deflação. Grupo alimentação e bebidas recuou 0,5%

São Paulo – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou deflação em junho (-0,23%), no primeiro resultado negativo desde 2006 e com a menor taxa da série histórica em 20 anos. Segundo o IBGE, que divulgou os resultados na manhã de hoje (7), o índice oficial da inflação fechou o semestre em 1,18%, ante 4,42% em igual período do ano passado, no menor acumulado da série. Em 12 meses, vai a 3%, também abaixo do período imediatamente anterior (3,60%). A queda da inflação é um fato positivo, mas no Brasil isso se deve em boa dose à forte recessão econômica.

Três dos principais grupos que compõem o IPCA registraram taxas negativas no mês passado: Alimentação e Bebidas (-0,50%), Transporte (-0,52%) e Habitação (-0,77%). Somados, representam perto de 60% do índice. O impacto foi de -0,33 ponto percentual. Habitação teve alta de 1,14%  nas contas de condomínio e de 2,16% nas de água e esgoto. 

Com mudança de bandeira, as contas de energia, que haviam subido 8,98% no mês anterior, tiveram queda de 5,52%. Os combustíveis caíram 2,84%, com impacto de -0,14 ponto: -2,65% a gasolina e -4,66% o etanol.

No caso dos alimentos, grupo que representa mais de um quarto das despesas das famílias (26%), a retração foi puxada pela alimentação em casa (-0,93%). Caíram preços do tomate (-19,22%), da batata inglesa (-6,17%), das frutas (-5,90%), cenoura (-9,68%) e cebola (-6,77%), entre outros itens. O preço do feijão carioca subiu 25,86% no mês, e com isso o produto teve impacto de 0,05 ponto no índice geral.

Todas as áreas tiveram queda em junho, com os índices variando de -0,04% (Goiânia) a -0,48% (região metropolitana de Belo Horizonte). Em São Paulo, a taxa foi de -0,31%. No acumulado em 12 meses, o IPCA vai de 1,74% (Goiânia) a 4,75% (Recife).

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) variou -0,30% em junho, ante 0,36% no mês anterior. Em 12 meses, chega a 2,56%, abaixo do período imediatamente anterior (3,35%).