Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2017 / 07 / Agricultura mantém estabilidade do emprego formal em junho

Caged

Agricultura mantém estabilidade do emprego formal em junho

País teve 9.821 vagas com carteira assinada a mais no mês passado, quando indústria, construção, comércio e serviços fecharam postos de trabalho. No ano, dados mostram pequena alta
por Redação RBA publicado 17/07/2017 16h00
País teve 9.821 vagas com carteira assinada a mais no mês passado, quando indústria, construção, comércio e serviços fecharam postos de trabalho. No ano, dados mostram pequena alta
Luiz Costa/SMCS
Agricultores

Em função do período de safra, agricultura garantiu estabilidade do emprego formal no Brasil em junho

São Paulo – A agricultura contribuiu para manter estável o emprego formal no país em junho, conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na tarde desta segunda-feira (17) pelo Ministério do Trabalho. Com a maioria dos setores fechando vagas com carteira, a agricultura, pelo período de safra, permitiu que o saldo fosse ligeiramente positivo, com acréscimo de 9.821 postos de trabalho, variação mínima de 0,03%. Foram aproximadamente 1,182 milhão de contratações e 1,172 milhão de demissões no mês passado.

A indústria de transformação fechou 7.887 vagas formais, enquanto a construção civil eliminou 8.963. Também houve diminuição do número de empregos com carteira no comércio (-2.747) e nos serviços (-7.273). Enquanto a administração pública ficou próxima da estabilidade (704), a agricultura abriu 36.827 postos de trabalho.

No primeiro semestre, o país registra acréscimo de 67.358 empregos (0,18%). Construção e comércio fecham vagas (-33.164 e -123.238, respectivamente), enquanto indústria (27.775), serviços (60.757), administração pública (18.372) e agricultura (117.013) têm expansão.

No acumulado em 12 meses, são menos 749.060 empregos com carteira, redução de 1,91%. Apenas a agricultura cresce: 9.490 vagas. A construção fecha 283.254 e o os serviços, 216. 242. Indústria (-157.316), comércio (-73.655) e administração pública (-12.223) também caem.

O estoque de empregos formais no país é de 38,4 milhões (ou exatos 38.387.679).