Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2014 / 04 / IPCA-15 sobe em abril e tem maior índice em 15 meses, aponta IBGE

Preços

IPCA-15 sobe em abril e tem maior índice em 15 meses, aponta IBGE

Preços dos alimentos, que subiram 1,84% no mês, representaram mais da metade do resultado total
por Redação RBA publicado 17/04/2014 09h10, última modificação 17/04/2014 10h24
Preços dos alimentos, que subiram 1,84% no mês, representaram mais da metade do resultado total
Tânia Rego/Agência Brasil
alimentos_tomates_.JPG

Os preços dos alimentos, em trajetória de alta, atingiram variação de 1,84%

São Paulo – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) teve alta de 0,78% neste mês, ante 0,73% em março e 0,51% em abril do ano passado. Segundo o IBGE, que divulgou os resultados hoje (17), foi a maior taxa desde janeiro de 2013 (0,88%). O IPCA-15 ficou acumulado em 2,91% de janeiro a abril, ante 2,58% em igual período do ano passado. Em 12 meses, vai a 6,19%, acima dos 12 meses imediatamente anteriores (5,9%).

"Os preços dos alimentos, em trajetória de alta, atingiram variação de 1,84% e superaram a taxa de 1,11% registrada em março", diz o IBGE. Com isso, apenas o grupo Alimentação e Bebidas foi responsável por 58% do resultado geral.

Entre as principais altas individuais, as carnes subiram 2,83% e tiveram impacto de 0,07 ponto percentual no índice do mês. A batata, com alta de 26,96%, representou 0,06 ponto e o leite, que subiu 5,7%, teve impacto de 0,05 ponto. Também aumentaram o tomate (14,8%) e a gasolina (0,93%), cada um representando 0,04 ponto.

Os preços dos remédios aumentaram 0,69%, "refletindo parte do reajuste concedido em 26 de março, estipulado no intervalo entre 1,02% e 5,68% a depender do tipo". Por essa razão, o grupo Saúde e Cuidados Pessoais teve alta de 0,69%, a segunda maior.

Em Habitação (alta de 0,58%), subiram os preços de artigos de limpeza (1,48%) e o custo com mão de obra para pequenos reparos (1,06%). Também aumentou (0,87%) a taxa de água e esgoto, "reflexo das variações apropriadas no índice da região metropolitana de Recife (7,11%), com reajuste de 8,75% em 20 de março; Curitiba (4,34%), reajuste de 6,40% em 24 de março; e Brasília (3,68%), reajuste de 7,39% em primeiro de março.

O grupo Comunicação registrou queda de 0,61%, com redução de 2,03% nas contas de telefone fixo. Já Transportes teve alta menor: de 1,22%, em março, para 0,54%. Isso aconteceu, segundo o instituto, porque os preços das passagens áreas, que haviam subido 27,08% no mês anterior, recuaram 1,79%. Além disso, as tarifas de ônibus urbanos, passaram de 1,51% para 0,09%. Aumentaram os preços da gasolina (0,93%) e do etanol (3,1%).

Dos índices regionais, os maiores foram de Curitiba e Goiânia, ambos com variação de 1,1%. O menor foi o de Belém (0,32%). O IPCA-15 variou 0,64% na região metropolitana de Belo Horizonte, 0,82% em Brasília, 1,08% em Porto Alegre, 0,9% em Recife, 0,55% no Rio de Janeiro, 0,77% em Salvador e 0,78% em São Paulo.

O resultado do IPCA e do INPC de abril será divulgado em 9 de maio.