Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2013 / 05 / Cepal e OIT estimam que desemprego não aumentará na América Latina

mercado de trabalho

Cepal e OIT estimam que desemprego não aumentará na América Latina

Segundo as entidades, crescimento econômico deverá manter tendência positiva este ano
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado 21/05/2013 14h29
Segundo as entidades, crescimento econômico deverá manter tendência positiva este ano

São Paulo – Com “otimismo cauteloso”, relatório da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima em 6,2% a 6,4% a taxa de desemprego deste ano na região. Para as entidades, o crescimento econômico esperado para 2013, em torno de 3,5%, será suficiente para manter a tendência positiva nos indicadores relativos ao mercado de trabalho.

Cepal e OIT lembra que a taxa de desemprego de 2012 (6,4%) já havia sido a menor das últimas décadas, após os 6,7% de 2011, um índice considerado positivo se levada em conta a situação mundial. "Um otimismo cauteloso prevalece a respeito da evolução dos mercados de trabalho da região em 2013. Se fosse cumprida a projeção de crescimento econômico – de 3,5% –, os indicadores continuariam melhorando gradativamente, com novos aumentos dos salários reais", afirmam no relatório a secretária-executiva da Cepal, Alícia Barbosa, e a diretora regional da OIT, Elizabeth Tinoco.

No ano passado, o número de desempregados em áreas urbanas caiu em aproximadamente 400 mil pessoas. Mas há ainda 15 milhões de pessoas à procura de emprego na região. O Brasil é apontado como “um caso especial”. “Apesar do reduzido crescimento de 0,9% a taxa de ocupação nas seis principais áreas metropolitanas do país aumentou 0,5 ponto percentual”, cita o relatório. Segundo as entidades, o crescimento do emprego não é resultado de um processo de informalização, já que a participação da ocupação com carteira assinada aumentou.