Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2013 / 01 / Novo mínimo de R$ 678 e isenção sobre PLR passam a vigorar hoje

Novo mínimo de R$ 678 e isenção sobre PLR passam a vigorar hoje

Desde que o PT chegou ao governo federal, há exatos 10 anos, aumento real, descontada a inflação, foi de 70%
por Redação da RBA publicado 01/01/2013 09h23, última modificação 01/01/2013 18h02
Desde que o PT chegou ao governo federal, há exatos 10 anos, aumento real, descontada a inflação, foi de 70%

Entra em vigor hoje (1º) o novo salário mínimo de R$ 678, um reajuste de 9% em relação ao valor do ano passado. A previsão inicial do governo Dilma era elevar o mínimo para R$ 670,95, mas os cálculos foram refeitos a partir de ajustes inflacionários.

Desde 2006, a partir de acordo do governo Lula com as centrais sindicais – que depois virou lei – o salário mínimo passou a ter política permanente de valorização e a contar com uma fórmula de reajuste que leva em conta a inflação do anterior mais a variação do PIB de dois anos atrás. A data de validade dos novos reajustes também recuou de maio para janeiro.

Nos últimos 10 anos, com a chegada do PT ao governo federal, o aumento real do mínimo (descontada a inflação do período) foi de 70%.

De acordo com o Dieese, com o valor que começa a vigorar hoje a relação entre mínimo e cesta básica será a melhor desde 1979. Com os R$ 678 é possível comprar 2,26 cestas.Ainda segundo a entidade, o aumento vai injetar R$ 32,7 bilhões na economia do país no próximo ano.

PLR

Na mesma medida provisória em que determinou o reajuste do salário mínimo, o governo também isentou do Imposto de Renda valores de até R$ 6.000 recebidos por participação em lucros e resultados, a chamada PLR - uma antiga reivindicação das centrais sindicais.

Entre R$ 6.000,01 e R$ 9.000, a alíquota será 7,5%. Entre R$ 9.000,01 e R$ 12.000, a taxa será de 15%. Nos ganhos entre R$ 12.000,01 e R$ 15.000, a alíquota será de 22,5%, e acima de R$ 15.000,01 o imposto será de 27,5%.